Safra do melão supera as expectativas no Sul

Clima seco favorece o desenvolvimento da fruta e impulsiona o aumento da produção

Foto: Guilherme Cordeiro/ TN
- PUBLICIDADE -

Geórgia Gava

Criciúma        

- PUBLICIDADE -

Um fruto rico em nutrientes e que faz sucesso nesta estação do ano: o melão. Esta é a época dedicada ao cultivo da fruta, originária da África e Ásia, que possui pelo menos oito variedades, mas todas com as mesmas características: casca espessa, polpa carnosa, suculenta e cheia de sabor. Nesta safra, que iniciou no dia 1º de dezembro e segue até o fim de fevereiro, o clima seco foi preponderante para que a plantação superasse as expectativas.

“Esse foi um ano que o tempo foi seco, e aí com a irrigação o melão desenvolveu lentamente, mas com muita qualidade de sabor. O fruto está divino. Não é aquele melão aguado, que você come e depois não quer comer mais, pelo contrário, você quer ainda mais, de tão doce e saboroso que ele está”, explica o agricultor e produtor do melão há mais de 20 anos, Natal Daros, o Alemão.

Com a ajuda do filho Luiz Felipe, de apenas 11 anos, o agricultor plantou cerca de dois mil pés nesta safra, divididos em aproximadamente 1,5 hectares de plantação. “A produção vai dar em torno de oito a dez toneladas. Já faz 12 dias que eu estou colhendo, já colhi de seis a sete toneladas. Agora já está na reta final, mas depois tem a terceira arremessa, essa é a segunda, a terceira é para final de janeiro”, acrescenta Alemão. Com duas décadas dedicadas ao cultivo da fruta, o produtor, todos os anos, retira as sementes dos maiores e melhores melões para guardar para a safra seguinte.

Tempo seco favorece o cultivo

Para algumas culturas, a estiagem trouxe prejuízos. Já para o melão, o clima favoreceu e rendeu bons frutos na plantação. “Essa é uma das frutas que mais gosta do clima seco, se der chuva ela fica frágil, aguado, fácil de estragar. Assim, ela desenvolveu lentamente, mas com muita qualidade. A produção foi muito boa, show de bola”, acrescenta Alemão.

Variedades da fruta

A variedade mais comum e consumida no Brasil é a do melão amarelo. Porém, o consumo do tipo Harper – com casca esverdeada e leves linhas brancas, tem aumentado no mercado nacional. “Nós plantamos o legítimo melão caipira, o tradicional caipira, o verdadeiro melão gaúcho, que eles dizem. Por isso, todo o ano eu tiro a semente e faço o esquema para produzir o fruto maior”, explica o produtor.

Quanto ao uso de agrotóxicos, Alemão afirma que o melão cultivado na sua propriedade tem menos 70% de uso de produtos químicos do que alguns frutos encontrados nos supermercados. “O tempo seco evitou bastante o agrotóxicos, não precisamos usar tanto como quando chove toda semana. Além disso, economizamos. E quem for consumir, vai comer um fruto bom e de qualidade”, enfatiza.

Além da cor amarela que chama atenção nas prateleiras, o tamanho dos melões também não fica para trás. Em média, os frutos produzidos por Alemão atingem o peso entre nove e dez quilos. “Esse ano já tirou um fruto de 10.800 kg. Quanto maior, mais eu vendo. É um fruto que é muito procurado”, finaliza.

Valores comercializados

Alemão produz e comercializa no próprio empreendimento – uma fruteira tradicional localizada na SC-443, que liga Criciúma a Morro da Fumaça. Ali, o melão é vendido a R$ 4 o quilo. Além disso, o produtor também vai ao litoral vender os frutos.

Benefícios do melão para a saúde:

  • Leve efeito de laxante;
  • Ajuda na manutenção de um peso saudável;
  • Fortalece o sistema imunológico;
  • Facilita a absorção de ferro dos alimentos de origem animal;
  • Reduz a pressão arterial;
  • Previne problemas urinários;
  • Aumenta a saúde da visão;
  • Melhora a pele;
  • Regula a menstruação;
  • Auxilia na circulação e coagulação sanguínea;
  • Ajuda na digestão;
  • Hidrata e desintoxica.
-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.