Petrobras anuncia elevação dos preços da gasolina e do diesel

Alta nas refinarias é de R$ 0,16 por litro de gasolina e de R$ 0,10 por litro de diesel, válida a partir de terça-feira

Foto: Tomaz Silva/ Agência Brasil
- PUBLICIDADE -

A Petrobras informou nesta segunda-feira, 5, uma alta nas refinarias de R$ 0,16 por litro de gasolina, a ser comercializado por R$ 2,69 (alta de cerca de 6%), e de R$ 0,10 por litro de diesel, a ser vendido a R$ 2,81 (alta de cerca de 4%). O novo preço valerá a partir de terça-feira, 6.

Este é o primeiro aumento no valor fixado pela estatal desde que o novo presidente da empresa, general Joaquim Silva e Luna, assumiu o cargo.

- PUBLICIDADE -

A demora para a elevação de preços já tinha sido criticada por entidades. Antes do anúncio, a  Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis (Abicom) acusou a Petrobras de manter uma “elevada” defasagem dos preços da gasolina e do óleo diesel, em relação ao mercado internacional. A gasolina brasileira estava, até o último anúncio, em média 12% mais barata do que a comercializada no exterior e o óleo diesel, 7%. “A valorização dos derivados no mercado internacional amplia defasagens. A alta pressiona os preços domésticos de combustíveis e operações de importação seguem inviabilizadas”, afirmou o presidente da associação, Sérgio Araujo.

De acordo com o Credit Suisse, a notícia de elevação de preços é positiva. “A notícia ajuda a aliviar a pressão sobre o cumprimento da paridade internacional. A gasolina agora está com desconto de 5%, enquanto o diesel está com desconto de 3% para a importação”, apontam os analistas.

A Petrobras, toda vez que é acusada de segurar seus preços, reafirma a sua política de paridade de importação. Isso significa que, para definir os valores dos seus combustíveis, a empresa considera o preço internacional, câmbio e custos logísticos. O argumento utilizado recentemente é de que as revisões acontecerão em prazos mais longos, para evitar o repasse ao consumidor de oscilações externas momentâneas.

Já a Abicom reforça que a desvalorização do real frente ao dólar também não justifica a manutenção dos preços da Petrobras. Além disso, de acordo com a entidade, o mercado internacional mantém sinais de que o petróleo continuará em patamares elevados neste ano.

Via InfoMoney

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.