Número de empresas abertas aponta crescimento econômico no Estado

Somente em Criciúma, nos primeiros seis meses do ano, mais de dois mil novos negócios foram registrados. Em Santa Catarina, resultado total equivale a 47,63% de aumento

Foto: Divulgação/ Jucesc
- PUBLICIDADE -

Criciúma

Os números consolidam a retomada econômica em Santa Catarina. Prova disso, é a abertura de novas empresas nos primeiros seis meses deste ano. O saldo positivo apresenta um crescimento de 47,63% em todo o Estado, segundo dados do Registro Mercantil da Junta Comercial (Jucesc). Somente no município de Criciúma, mais de dois mil novos negócios foram registrados, com destaque para o comércio e a indústria.

- PUBLICIDADE -

“Desde o início da pandemia, em março de 2020, tivemos uma queda acentuada da abertura de empresas e até o fechamento de outras. Isso ocorreu em nível de Brasil e mundo. Mesmo assim, nós chegamos ao fim do ano com um saldo positivo. Já no primeiro semestre de 2021, nós tivemos mais de duas mil empresas abertas que passaram pela Casa do Empreendedor. Isso é muito positivo para o nosso município, pois vem gerando emprego e renda”, informa o coordenador do espaço, Agenor Brunel.

Criciúma entre os destaques

Criciúma é o décimo município do Estado que mais abriu empresas no primeiro semestre deste ano, com 2.052 novos negócios, segundo a Junta Comercial. Florianópolis lidera o ranking (8.083), seguida de Joinville (6.604), Blumenau (4.332), Itajaí (3.825), São José (3.256), Palhoça (2.752), Chapecó (2.336), Balneário Camboriú (2.319) e Jaraguá do Sul (2.192).

“Para o empreendedor, com certeza, voltou a confiança em abrir seu próprio negócio, porque a economia vem em uma crescente. Muitas empresas abertas são Microempreendedor individual (MEIs), alguns abriram por necessidade e outros para sair da informalidade. A abertura de MEIs é totalmente isenta de qualquer tributo. A Casa do Empreendedor vem prestando esse serviço gratuitamente aos interessados que queiram, por ventura, abrir o seu negócio. Estamos aqui para colaborar com o pessoal”, acrescenta Brunel.

A alta registrada foi de 47,63% em novos negócios em Santa Catarina, com 74.837 de janeiro a junho de 2021, contra 50.689 no primeiro semestre de 2020. O saldo de novas empresas representa a diferença entre as empresas que foram abertas e as fechadas. Foram 107.268 empreendimentos constituídos e 32.431 extintos durante o mesmo período analisado.

Dentre o saldo das novas empresas constituídas em Santa Catarina de janeiro a junho, 70.948 são microempresas, ou seja, que faturam até R$ 360 mil por ano; 2.153 são empresas de pequeno porte, que trabalham com o faturamento de até R$ 4,8 milhões. O saldo entre os 10 municípios que mais abriram empresas no primeiro semestre de 2021 corresponde a 49,55% do total de empresas abertas neste período, com base na comparação entre constituídas e extintas.

Por atividade econômica, o comércio segue puxando as aberturas, com um saldo de 16.397. Seguido pela indústria de transformação (9.225); construção civil (8.330); atividades profissionais, científicas e técnicas (6.093); outras atividades de serviços (6.054); alojamento e alimentação (5.247); transporte, armazenagem e correio (5.500); atividades administrativas e serviços complementares (5.488); educação (3.237); informação e comunicação (2.322); entre outras.

Com relação à natureza jurídica, o MEI responde nos primeiros seis meses por uma parcela de 80,54% do saldo das empresas ativas em Santa Catarina (60.277). Na sequência, vêm a sociedade empresária limitada – LTDA (14.375); empresário individual de responsabilidade limitada – Eireli (637); e sociedade anônima (202).

RANKING DAS CIDADES QUE LIDERAM A ABERTURA DE EMPRESAS:

  • Florianópolis – 8.083;
  • Joinville – 6.604;
  • Blumenau – 4.332;
  • Itajaí – 3.825;
  • São José – 3.256;
  • Palhoça – 2.752;
  • Chapecó – 2.336;
  • Balneário Camboriú 2.319;
  • Jaraguá do Sul – 2.192;
  • Criciúma – 2.052.
-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.