Nacional: PIB encolhe 0,1% e Brasil entra em recessão técnica

Produção de bens e serviços atingiu R$ 2,2 trilhões entre julho e setembro, mesmo patamar do período pré-pandemia, aponta IBGE

Foto: Getty Images

- PUBLICIDADE -

A economia brasileira encolheu 0,1% no terceiro trimestre deste ano, na comparação com os três meses anteriores, apontam dados divulgados nesta quinta-feira (2) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

> Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

- PUBLICIDADE -

O novo resultado negativo do PIB (Produto Interno Bruto) — soma de todos bens e serviços produzidos no país — coloca o Brasil novamente em uma recessão técnica. A definição econômica é usada para descrever dois trimestres consecutivos de queda da atividade. Entre abril e junho, a economia nacional recuou 0,4%.

Apesar da alta de 1,1% nos serviços, que respondem por mais de 70% do PIB nacional, o indicador foi influenciado para baixo principalmente por conta da queda de 8% na agropecuária e também pelo recuo de 9,8% nas exportações de bens e serviços. O desempenho da indústria, por sua vez, ficou estável (0%).

As movimentações colocam o PIB no mesmo patamar do fim de 2019 e início de 2020, período pré-pandemia, mas ainda 3,4% abaixo do ponto mais alto da atividade econômica na série histórica, alcançado no primeiro trimestre de 2014. Em valores correntes, o PIB atingiu R$ 2,2 trilhões no terceiro trimestre.

Trata-se ainda da segunda recessão técnica desde o início da pandemia do novo coronavírus, já que o PIB nacional desabou no primeiro (-2,2%) e no segundo (-9,2%) trimestre do ano passado, períodos com os maiores impactos das medidas restritivas na economia.

As estatísticas apontam ainda para um crescimento de 4% do PIB na comparação com o mesmo período do ano passado, quando a economia nacional saltou 7,8%, na comparação com os três meses anteriores, os mais afetados pela pandemia. No acumulado do ano até setembro, a economia apresenta avanço de 5,7% em relação a igual período do ano passado.

*Via R7

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.