Içara: Procon constata diferença de até R$ 0,34 no preço da gasolina

Pesquisa do Procon foi realizada em 22 postos do município.

Foto: Divulgação

- PUBLICIDADE -

Depois da última paralisação dos caminhoneiros e a falta de combustíveis em alguns postos da região, o Procon de Içara fez uma nova pesquisa de preços nos 22 estabelecimentos do município. A variação do preço da gasolina comum entre a pesquisa sexta-feira e a última, divulgada há um mês, ficou entre R$ 5,659 e R$ 5,999, uma diferença de R$ 0,34 centavos ao litro. A gasolina comum, que na última pesquisa era de R$ 5,659, foi para 6,099, um aumento de 0,44 centavos.

O combustível diesel comum variou entre R$ 4,359 e 4,599, com diferença de R$ 0,24 centavos. O etanol, por sua vez, variou um pouco mais entre R$ 4,799 e R$ 5,699, ou seja, uma diferença de R$ 0,90 centavos. O GNV variou R$ 0,20 centavos entre R$ 3,999 e R$ 4,199.

- PUBLICIDADE -

Comparando com a pesquisa divulgada no dia 10 de agosto, o reajuste foi de 4,8% da gasolina comum, 4,7% a gasolina aditivada, 1,8% no diesel comum e 2,4% no diesel s-10. o etanol foi o que teve o maior reajuste ficando em 4,9%.

“Sabemos da situação que está ocorrendo, principalmente com o aumento no valor de compra do combustível pelo empresários, porém, conforme o decreto 1.459 do Governo do Estado, fica estabelecido que o Procon é responsável pelo combate do aumento arbitrário do preço do combustível em Santa Catarina, durante o período de manifestação dos caminhoneiros, com isso seguimos fiscalizando”, disse o coordenador do Procon de Içara, Renato Novelli.

Procon reúne representantes de postos

O Procon de Içara se reuniu na tarde desta sexta-feira, dia 10, com integrantes de postos de combustível da cidade. A reunião foi marcada pelo Governo de Içara, depois da finalização da pesquisa de preço do combustível.

“Chamamos os postos para conversar visto que comparado com a última pesquisa destacamos um aumento de 4,8% só na gasolina comum. Ouvimos as demandas dos representantes de postos, entendemos o aumento na refinaria, porém precisamos fiscalizar, muitos postos aumentaram os preços antes mesmo da chegada de novos caminhões de combustível”, disse o coordenador. “Não queremos que nossos consumidores sejam lesados”, completou Novelli.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.