Gasolina pode chegar a R$ 7 no segundo semestre em Santa Catarina

A expectativa é do vice-presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis Minerais de Florianópolis

Foto: Guilherme Cordeiro/ TN
- PUBLICIDADE -

Criciúma/Florianópolis

Em Santa Catarina, a valor da gasolina pode chegar a R$ 7, por litro, neste semestre. Com o aumento frequente do preço junto à redução do consumo, devido à pandemia, o acréscimo deve ultrapassar os 25% nos próximos meses, conforme expectativa de Joel Fernandes, vice-presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis Minerais de Florianópolis (Sindópolis).

- PUBLICIDADE -

“Deve subir mais de 25% no segundo semestre [o preço da gasolina] e chegar a mais de R$ 7 até dezembro, se continuar os aumentos da forma como aconteceram nos primeiros seis meses do ano”, afirma o vice-presidente. “É um valor altíssimo e, para a revenda, é terrível. Na essência, o que motiva isso é valor do barril de petróleo, que iniciou o ano na faixa de 45 a 50 dólares e fechou o semestre há aproximadamente US$ 70”, acrescenta.

Segundo Fernandes, o preço só não aumentou mais porque o dólar não teve acréscimo. “Se bobear, nesta semana, o preço do barril de petróleo já bate US$ 80. Hoje [ontem], abriu a US$76. E, a partir de hoje, a Petrobrás já anunciou o primeiro aumento do semestre, de R$ 0,15. Está sendo mais ou menos uma cópia do semestre passado, que em um mês e meio, aumentou quase oito vezes. Esse aumento agora está sendo muito alto”, enfatiza.

Paulo Roberto Benedet, proprietário de um posto de combustíveis de Criciúma, acredita que o aumento não atinja esse valor. “A gente espera que não. Dependemos da Petrobras, mas esse novo aumento, de R$ 0,15, não estávamos esperando. O álcool está baixando e o anidro também, só que, em contrapartida, o petróleo internacional está subindo, então a Petrobras repassou mais esse aumento”, comenta.

Redução do consumo

O aumento expressivo do valor da gasolina reflete no consumo do Estado, que diminuiu significativamente. “Muitas pessoas continuando não usando os carros, em função não só da pandemia, mas também do alto custo do combustível”, explica Fernandes. “A pandemia reduziu o consumo e quando ela reduz o consumo, as atividades diminuem e não tem como recuperar o preço com o volume baixo”, completa.

Para o vice-presidente do Sindópolis, falta boa vontade política para que haja a reforma tributária – que deve diminuir o custo dos combustíveis. “A alternativa, só existe uma. É que nossos governantes aprovem o reforma tributária e os impostos passem a ser um imposto único, aí seria uma alternativa para que houvesse um produto mais barato, uma vez que nós somos produtores desse combustível. Mas as reformas estão muito distantes, infelizmente”, finaliza Fernandes.

Preço médio na região

Conforme dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), com base no período entre 27 de junho e 3 de julho, Criciúma apresentou o preço médio de R$ 5,469 no litro da gasolina. A pesquisa levou em consideração nove postos do município, sendo que o valor mínimo é R$ 5,398 e o máximo é R$ 5,499.

Já em Araranguá, o preço médio da gasolina é R$ 5,486. A pesquisa foi realizada em 10 postos de combustíveis e o valor mínimo apresentado é R$ 5,469 e o máximo R$ 5,499.

Aumento de 25,48% no primeiro semestre

O preço médio da gasolina registrou variação positiva pelo 13º mês seguido. Em junho, o valor subiu 1,41% nos postos de combustíveis no Brasil – em média, o litro foi vendido a R$ 5,915 (no mês anterior, o preço médio foi de R$ 5,832). Nos primeiros seis meses de 2021, o preço da gasolina subiu 25,48% no Brasil – em dezembro de 2020, o valor médio era de R$ 4,714. As informações constam em levantamento exclusivo feito pela empresa ValeCard.

PREÇO MÉDIO DA GASOLINA NO ESTADO:

MUNICÍPIO PREÇO MÉDIO (R$)
Araranguá 5,486
Balneário Camboriú 5,599
Biguaçu 5,575
Blumenau 5,482
Brusque 5,432
Criciúma 5,469
Florianópolis 5,535
Itajaí 5,384
Jaraguá do Sul 5,238
Joinville 5,176
Lages 5,558
Laguna 5,392
Palhoça 5,575
Sao José 5,579
Tubarão 5,465

*Dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) com base no período entre 27/06 e 03/07. 

 

 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.