Com juros em alta, cooperativas de crédito ganham ainda mais mercado

A elevação dos juros é uma das ferramentas utilizadas pelo governo federal para tentar reduzir os índices de inflação

Fonte: Rede Catarinense de Notícias
- PUBLICIDADE -

A alta de mais 0,75% na taxa de juros básica da economia, a Selic, pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) na semana passada consolidou a tendência de elevação dos juros de toda a economia brasileira. Agora, a taxa é de 4,25% ano ano, mas deve subir ainda mais. Nesta segunda-feira (21), no Boletim Focus, o BC estimou encerrar 2021 com a Selic a 6,5%.

A elevação dos juros é uma das ferramentas utilizadas pelo governo federal para tentar reduzir os índices de inflação. Com o crédito mais caro, cai o consumo e diminui a pressão sobre muitos produtos. O próprio Boletim Focus prevê uma desaceleração da inflação: o documento projeta um IPCA de 5,9% até dezembro; somente de janeiro a maio, o índice acumula alta de 3,2%.

- PUBLICIDADE -

A medida deve encarecer empréstimos e financiamentos que estão atrelados à Selic. Isso inclui operações nacionais, como do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), e estaduais, como linhas de crédito emergencial da Agência de Fomento de SC (Badesc).

“Quando o Copom sobe a Selic, quer tirar dinheiro de circulação. É uma das ferramentas do governo contra a inflação e acaba encarecendo o crédito. Para as cooperativas, onde há uma taxa média muito menor do que o sistema financeiro tradicional, vai ficar um pouco mais atrativo”, disse o gerente de Negócios do Sicoob Central SC/RS, Dangelo Dalla Rosa.

Outro diferencial é a velocidade do repasse do aumento para as operações. Segundo Dalla Rosa, os bancos tradicionais tendem a transferir os percentuais de forma mais imediata, enquanto nas cooperativas de crédito isso ocorre de forma mais lenta.

“A nossa tradição é cobrar taxas e juros mais baratos. A tendência é de que as cooperativas se distanciem ainda mais dos bancos. […] Na prática, como a gente tem a taxa diferenciada, a gente vai ficando até mais atrativo do que uma taxa de juros do mercado tradicional”, complementou.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.