Amrec e Amesc geram mais de mil empregos em abril

Crescimento perde força na região, em relação ao mês anterior, mas nenhuma cidade tem resultado negativo no levantamento feito pelo Ministério da Economia e divulgado ontem à tarde

- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma / Araranguá

- PUBLICIDADE -

O número de contratações formais nos municípios das regiões Carbonífera (Amrec) e do Extremo Sul (Amesc) perdeu força no mês de abril, em relação ao mês anterior, porém, ultrapassou o número de mil postos de trabalhos criados. Conforme dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados ontem, dia 26, pelo Ministério da Economia, os 27 municípios que compõem as duas associações, no Sul Catarinense, geraram mais 1.173 vagas de emprego.

Com um saldo positivo de 419 empregos, em abril, Criciúma é o município com maior destaque na Região Carbonífera, seguido de Içara, que registrou 133 novas contratações. Todas as demais cidades também registraram mais contratações do que demissões no quarto mês do ano: Urussanga (98), Morro da Fumaça (73); Forquilhinha (66); Cocal do Sul (45); Nova Veneza (42); Balneário Rincão (28); Orleans (26); Treviso (21); Siderópolis (14) e Lauro Müller (6).

De acordo com o presidente da Associação Empresarial de Criciúma (Acic), Moacir Dagostin, o destaque na região, sobretudo no município, é para o setor de serviços em geral. “Os indicadores têm mostrado mês a mês a recuperação da economia na região, com Criciúma liderando esse processo de retomada, como pode ser observado pelos números do Caged. O saldo de empregos é positivo em praticamente todos os setores, com destaque para os serviços em geral”, aponta o presidente da Associação Empresarial de Criciúma (Acic), Moacir Dagostin.

O setor de serviços registra no acumulado do ano 1.470 admissões a mais que desligamentos na cidade. Em seguida, vêm a indústria, com saldo positivo de 768 empregos, e o comércio, com 413.

A situação é bem diferente da verificada no primeiro quadrimestre de 2020, quando a Região Carbonífera acumulava a perda de 1.209 postos de trabalho com carteira assinada, reflexo das restrições impostas às atividades econômicas no enfrentamento à pandemia de coronavírus. O maior impacto ocorreu justamente em abril do ano passado, quando houve 3.935 demissões a mais que contratações na soma dos 12 municípios.

Crescimento também no Extremo Sul

No Extremo Sul, o município que mais gerou empregos foi Araranguá (57), seguido de Sombrio (36), Turvo (34), Praia Grande (29), Passo de Torres (10), Maracajá (9), Balneário Gaivota (9), Ermo (8), Balneário Arroio do Silva (4), Jacinto Machado (3), São João do Sul (2) e Morro Grande (1). A região também apresentou três cidades com um saldo de igualdade em admissões e desligamentos: Meleiro, Santa Rosa do Sul e Timbé do Sul.

Santa Catarina é o terceiro Estado que mais gerou oportunidades

Santa Catarina fechou o mês de abril com a criação de 11.127 novos postos de trabalho com carteira assinada e, no período de janeiro a abril, gerou 97.927 novas vagas, o terceiro melhor resultado do Brasil. Ficou atrás apenas de São Paulo, que criou 30.174 em abril e 284.822 este ano; e Minas Gerais, que abriu 13.942 em abril e 127.090 em 2021.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.