Comunidade protesta contra demissão de diretora da Escola Luiz Lazzarin

Dezenas de pais, professores e funcionários se reuniram na manhã de hoje para se manifestarem contra medida da Prefeitura: "Injustiçada"

Foto: Divulgação
- PUBLICIDADE -

Com cartazes e palavras de descontentamento, a comunidade da Escola de Educação Básica Luiz Lazzarin se reuniu na manhã dessa quinta-feira para protestar contra a demissão da diretora eleita Raquel da Silva. O protesto aconteceu em frente à unidade educacional, no distrito de Rio Maina.

Desde quarta-feira, todos os diretores das escolas municipais tiveram o desligamento oficializado no Diário Oficial de Criciúma. O Tribunal de Justiça concedeu no último mês uma liminar favorável ao prefeito Clésio Salvaro, que aprovou o projeto que impõe o fim das eleições comunitárias nas escolas públicas, o concentrando o direito de escolher os novos diretores.

- PUBLICIDADE -

Raquel comandava a Luiz Lazzarin desde o início de 2019, no momento em que o local passava por obras de reestruturação. “Os funcionários e as famílias vieram para demonstrar a indignação e o descontentamento com essa decisão. Todos sabem que a motivação não é pelo meu trabalho, ou uma motivação técnico-pedagógica. A gestão da escola tem toda a aprovação das pessoas e ninguém admite uma troca por motivos políticos”, externa.

A educadora ressalta o sentimento de injustiça perante a medida monocrática do Governo de Criciúma. “Quando eu assumi a direção, tínhamos inúmeros problemas. Trabalhamos o ano inteiro nos doando, foi um grande sacrifício para limpar o nome da escola”, lembra. Ela cita o extenso currículo para provar estar capacitada para exercer a função em que atuava. “Sou mestra em Educação,  cursei disciplinas do Doutorado. Sempre trabalhei na formação de professores da rede municipal. Tenho 30 anos de trabalho no ensino e a qualificação necessária para o cargo”, destaca.

Segundo Raquel, em nenhum momento a Secretaria de Educação fez alguma advertência ao seu trabalho. “Nunca me chamaram para falar absolutamente nada em minha gestão. Do dia para a noite, sem mais nem menos, o secretário veio me falar que o cargo é da confiança do prefeito e por isso irá para outra pessoa”, lamenta.

A agora ex-diretora aponta os motivos. “Não tenho a confiança porque não sou filiada ao partido dele, não faço campanha para ele. Essa é a confiança que eles querem, alguém que seja um cabo eleitoral dentro da escola”, dispara. “É uma mancha para o ensino municipal. A comunidade escolar perdeu a voz, o magistério todo está amedrontado, com medo de fazer qualquer crítica ao governo”, arremata.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.