Treviso: Polícia prende homem que matou e jogou vítima em um rio

Autor do crime possuía inúmeros antecedentes

Foto: Divulgação
- PUBLICIDADE -

Treviso

Após 15 dias da morte de um homem, 42 anos, encontrado às margens de um rio, na localidade de Rio Ferreira, em Treviso, policiais civis do município e da 2ª. DP de Criciúma e Delegacia de Siderópolis, após investigações, elucidaram como ocorreu o crime e quem praticou.

- PUBLICIDADE -

Durante as investigações foi verificado que desde o mês de novembro, um homem, vizinho e esposo da sobrinha da vítima, 20 anos, fazia ameaças contra a vítima, após saber que ela havia dito para pessoas que trabalhavam com o autor do crime que ele não gostava de trabalhar.

No dia do crime, a vítima e o autor do crime se encontraram em um bar, no centro de Treviso, local onde o criminoso desferiu socos na vitima e prometeu matá-la, ainda naquela data, dizendo “de hoje tu não passa, nos encontramos lá em cima”, referindo que o local do encontro seria no mesmo bairro onde residem. Logo após as agressões o autor saiu do bar, sendo que a vítima saiu logo depois.

Antes de chegar em casa, com sua bicicleta, próximo de uma igreja do bairro, a vítima foi atingida pelo autor do crime, na altura da cabeça, com instrumento contundente, tendo perdido a vida por traumatismo craniano. Logo depois de matar, o autor do crime transportou a bicicleta e o corpo da vítima para a beira de um rio, a aproximadamente 350 metros do local da morte.

O corpo da vítima e a bicicleta encontrados quatro dias após a morte. Segundo o Delegado Ari José Soto Riva, que comandou as investigações, o autor do crime, com vários antecedentes policiais, foi preso e recolhido ao Presídio Regional de Criciúma no dia 15 de dezembro, e deverá responder por homicídio duplamente qualificado.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.