Tenente-coronel Dimitri completa dois anos no comando do 9º Batalhão

A u que é responsável pela segurança pública em Criciúma (sede da 3ª Companhia PM) e, na 4ª Companhia PM, com as cidades de Forquilhinha, Nova Veneza, Siderópolis e Treviso

- PUBLICIDADE -

O tenente-coronel Cristian Dimitri Andrade completou na segunda-feira (28), dois anos frente ao comando do 9ª Batalhão da Polícia Militar (9º BPM), Unidade que é responsável pela segurança pública em Criciúma (sede da 3ª Companhia PM) e, na 4ª Companhia PM, com as cidades de Forquilhinha, Nova Veneza, Siderópolis e Treviso. Conta atualmente com um contingente de 292 policiais militares, distribuídos nestas cinco cidades.

O 9º Batalhão conta com as seguintes modalidades: Rádio-Patrulha, Policiamento de Proximidade (Comunitário), Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT), Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas (ROCAM), Canil (K-9), Cavalaria, Guarnição Reforçada (GR/9), Grupo de Operações/Eventos, Agência de Inteligência, Expediente, PROERD, Rede Catarina de Proteção à Mulher, Pós-crime, Juizado Especial de Trânsito (JET).

- PUBLICIDADE -

Nestes dois anos de comando (desde 28 de setembro de 2018), foram atendidas 37.585 ocorrências pelos policiais militares do 9º BPM. No aspecto preventivo, foram realizadas 28.088 rondas em estabelecimentos comerciais, 3.641 rondas escolares e 1.920 rondas residenciais. No Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência, os instrutores formaram nestes dois anos, 5.050 crianças. Nos 21 anos de PROERD, mais de 50 mil alunos foram formados na área do 9º Batalhão de Polícia Militar.

No Programa “Rede Catarina de Proteção à Mulher”, foram realizadas 2.655 visitas preventivas, tendo atualmente o Batalhão cerca de 70 mulheres sendo assistidas de forma ativa, com medidas protetivas de urgência expedidas pelo Poder Judiciário. Desde a implantação do Programa, 580 mulheres vítimas de violência doméstica, já foram atendidas pela Patrulha Maria da Penha.

Um Programa de sucesso na área do 9º BPM, é a “Rede de Vizinhos”, que conta atualmente com 251 células distribuídas nos seus cinco municípios, sendo 189 em Criciúma, 21 em Forquilhinha, 17 em Siderópolis, 16 em Nova Veneza e 8 em Treviso, contando com a participação de mais de 17 mil pessoas. O 9º Batalhão conta atualmente com dez Conselhos Comunitários de Segurança (CONSEG´s), sendo sete em Criciúma e mais três distribuídos nas cidades de Siderópolis, Nova Veneza e Treviso (um CONSEG em cada uma destas). “A participação ativa da comunidade, faz aumentar ainda mais a nossa Rede de Proteção, fazendo com que cresçamos no aspecto preventivo”, comenta Dimitri.

Criciúma é distribuída em 10 setores de policiamento comunitário, subordinados a 3ª Companhia/9º BPM, sendo que cada um deles possui um Sargento comandante do setor, além dos policiais comunitários e as respectivas guarnições de Rádio-Patrulha destas localidades. Desta forma, descentralizamos o comando e passamos a dar autonomia, com responsabilidade territorial aos Sargentos, que passaram a interagir localmente com os cidadãos e através das nossas “Redes de Vizinhos”, onde são administradores dos Grupos de aplicativo WhatsApp. O cadastramento dos moradores interessados, é feito pelo Aplicativo “PMSC Cidadão” e o gerenciamento é realizado pela Seção de Planejamento do 9º Batalhão, com o suporte e apoio das três Companhias PM, através das suas respectivas chefias e do reforço de diversas modalidades de policiamento existentes no 9º BPM.

No período de dois anos, sob comando do tenente-coronel Dimitri, o 9º BPM realizou 2.322 operações, tendo atingido a marca de mais de 3.074 adultos presos/detidos (crimes e contravenções penais) e 812 adolescentes apreendidos por atos infracionais. Também foram recuperados 385 veículos furtados, cerca de 148 armas de fogo foram retiradas de circulação, 600 munições foram apreendidas, 147 quilos de explosivos, ainda 396 kg de maconha, 37 kg de cocaína, 9 quilos de crack, 2.274 comprimidos de drogas sintéticas (ecstasy e micropontos de LSD).

Em parceria com o Poder Judiciário e a Vara de Execuções Penais (VEP), cuja titular é a Doutora Débora Driwin Rieger Zanini, os Policiais Militares do 9º Batalhão, realizaram neste período, 4.244 fiscalizações de apenados do regime aberto, no Programa “Ronda Penal”, onde são realizadas visitas nas residências dos apenados, sendo verificado o fiel cumprimento das medidas restritivas de direito, impostas pelo Judiciário. “Aqueles que não são localizados por nossas equipes nos endereços informados e nos horários previstos para o seu recolhimento domiciliar, dependendo da análise da Juíza de Direito, podem ter o seu regime de prisão regredido, evoluindo para um mais gravoso (o regime semiaberto), perdendo os direitos anteriormente concedidos, relata o comandante Dimitri.

Com relação a “Operação Covid-19” da Polícia Militar de Santa Catarina, deflagrada em março de 2020, o 9º Batalhão de Polícia Militar já realizou no total 6.900 fiscalizações preventivas. Tendo expedido 244 notificações, lavrado 16 termos circunstanciados e realizado 18 interdições cautelares, sem contar o apoio prestado para a Vigilância Sanitária municipal, que expede as suas próprias autuações. Comparado com os municípios de Joinville, Florianópolis e Blumenau, Criciúma é a cidade, dentre as maiores do Estado em população, com o maior “número proporcional” de ações voltadas para fiscalização em época de pandemia, tendo executado 3.213 fiscalizações para uma faixa de 100 mil habitantes.

“Para mim é um grande orgulho comandar o 9º Batalhão de Polícia Militar, Unidade da 6ª Região PM, que se destaca no âmbito estadual pelos resultados alcançados nos programas preventivos, bem como pela produtividade na repressão qualificada, tendo mulheres e homens abnegados que trabalham diuturnamente para que o bem triunfe”, comenta o tenente-coronel Dimitri.

“Contudo, não temos só alegrias e realizações, temos também tristezas e perdas. O momento mais difícil neste período de comando, foram as atuais mortes de policiais na área do 9º Batalhão. Desde dezembro de 2019, perdemos 05 policiais militares”, sendo eles o Sargento Marcos Antônio Vitto, 45 anos, que servia a disposição do GAECO, o Sargento João Batista Figueira Ribeiro, de 42 anos, da Guarnição Reforçada do 9º Batalhão, a Sargento Regiane Terezinha Miranda, 37 anos, do PROERD e Rede Catarina de Forquilhinha, o Sargento Ivair do Santos, de 54 anos, que trabalhava na Cavalaria pelo CTISP (Corpo Temporário de Inativos da Segurança Pública) e o Sargento Vilmar Zanette, de 55 anos (que já estava na Reserva Remunerada). “Além da Família, que perde um parente especial e querido, é um grande vazio para um comandante e para a sua tropa. ‘Quando policiais são feridos, quando um policial militar é morto, é a sociedade toda que é atacada’, como disse o nosso ex-Comandante Geral da Polícia Militar de Santa Catarina, senhor coronel Carlos Alberto de Araújo Gomes Junior”, citou Dimitri.

“O compromisso que fizemos com a nossa tropa, é que a nossa produtividade, os nossos resultados obtidos ao longo deste ano de 2020, sejam todos prestados em homenagem aos nossos eternos heróis, os quais rogamos ao Poderoso Deus que estejam formando fila no Exército Celestial de São Gabriel arcanjo e que possam, lá do Céu, proteger o nosso efetivo de bravos Policiais Militares do 9º Batalhão, das demais Forças de Segurança de Criciúma e Região e da Polícia Militar de Santa Catarina”, finaliza o tenente-coronel Cristian Dimitri Andrade, comandante do 9º BPM.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.