Siderópolis: Polícia apura desvio de R$ 85 mil de funcionário da Câmara

Profissional da contabilidade transferia dinheiro da Casa para contas próprias e de familiares e terceiros há pelos menos dois anos

Foto: Arquivo/ TN
- PUBLICIDADE -

Siderópolis

O caso dos desvios e pagamentos não autorizados com dinheiro da Câmara de Vereadores de Siderópolis teve encaminhamento após um mês de investigações policiais. O processo de realização das diligências investigatórias constatou que um funcionário do setor da contabilidade teria desviado aproximadamente R$ 85 mil da Casa Legislativa nos últimos dois anos. Os valores teriam sido transferidos para contas próprias e também de familiares e terceiros. Comissão na Casa Legislativa irá definir o afastamento definitivo do profissional.

- PUBLICIDADE -

De acordo com o responsável pela Polícia Civil de Siderópolis, Frank Willy Vieira, uma segunda etapa das investigações foi iniciada para dar andamento à resolução do caso. “Agora, será apurado os desvios correspondentes aos anos anteriores. Porque apuramos os últimos dois anos com base nos extratos que a Câmara nos encaminhou”, explica.

O inquérito, com mais de 200 páginas de procedimentos investigatórios, entra na fase processual e de improbidade administrativa. “Encaminhamos para o Ministério Público e estamos agora com outros inquéritos tramitando que vão apurar os anos anteriores. A promotora pode, se quiser, denunciar ele com base nos elementos que nós coletamos. Com o que temos já daria tranquilamente, só depende do MP”, finaliza.

O servidor, que ocupava o cargo há 14 anos, pode sofrer pena de reclusão de até doze anos de prisão, além de multa, sequestro de bens, e, inclusive, a perda do cargo público efetivo que ocupava.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.