Preso conta como matou e arrancou o coração do colega de cela em SC

Luiz Carlos Keller, de 24 anos, prestou depoimento à polícia no fim da tarde desta quarta-feira

Foto: Gabriela Milanezi / NDTV
- PUBLICIDADE -

Blumenau

A Polícia Civil ouviu no fim da tarde desta quarta-feira (16) o depoimento de Luiz Carlos Keller, de 24 anos. Ele confessou ter matado e arrancado o coração do peito do colega de cela. Durante quase uma hora, o detento contou como assassinou Alexander Alves, de 27 anos, na noite de terça (15), na Penitenciária Industrial de Blumenau.

- PUBLICIDADE -

Segundo a polícia, Luiz disse que teve uma briga com Alexander, o qual foi imobilizado com um golpe mata-leão e depois teve a cabeça batida contra o chão. Com o homem desacordado, Luiz contou ter usado uma lâmina de barbear para abrir o peito do colega de cela e arrancar o coração de Alexander. Após o crime, ele colocou o órgão em uma sacola ao lado do corpo e chamou os agentes penitenciários.

Além de Luiz e Alexander, outras oito pessoas estavam na cela. Nenhuma delas teria interferido ou auxiliado no crime, conforme o depoimento prestado às autoridades. Ao longo da semana todos os demais presos serão ouvidos, bem como o diretor e os agentes penitenciários de plantão no momento do homicídio qualificado.

Alexander Alves

A motivação

De acordo com a Polícia Civil, o assassino afirmou ter encontrado um bilhete supostamente recebido por Alexander com ordens de uma facção criminosa. No papel estaria escrito que ele deveria matar Luiz ou o irmão do agressor confesso, que está na mesma cela. Luiz então teria confrontado Alexander e os dois começaram a briga. Num surto de raiva, cometeu o crime.

Alexander cumpria pena por tráfico de drogas. Luiz por um assassinato em 2015 na cidade de Pinhalzinho, no Oeste de Santa Catarina. Conforme a polícia, ele também teria envolvimento em um homicídio ocorrido dentro do Presídio Regional de Blumenau, em 2018, em que o detento foi morto de forma semelhante ao crime desta terça (15), exceto pela retirada do coração.

Contraponto

Procurada pela reportagem, a Defensoria Pública informou não ter recebido nenhum pedido do Poder Judiciário para representar Luiz Carlos Keller, mas que provavelmente irá se manifestar na audiência de custódia caso ele não tenha um advogado.

Luiz Carlos Keller
Com informações do ND Mais
-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.