Laguna: “Em 11 anos de profissão, nunca vi nada parecido”, diz bombeiro

Uma menina de 1 ano e 10 meses caiu do quarto andar de um prédio e sobreviveu praticamente sem ferimentos

Divulgação
- PUBLICIDADE -

Érik Borges
Laguna

Um fato inusitado foi registrado nessa segunda-feira, dia 5, em Laguna. É que uma menina de 1 ano e 10 meses caiu do quarto andar de um prédio (13 metros de altura) no bairro Mato alto e ficou praticamente sem ferimentos e consciente após a queda. O Cabo do Corpo de Bombeiros, Elcy Vieira, que atendeu a ocorrência, alega que em 11 anos de profissão nunca viu nada parecido. “Populares relataram que logo após a queda, a menina já levantou-se sozinha e continuou consciente”, declara Vieira.

- PUBLICIDADE -

Ao chegar no local, a equipe de resgate constatou apenas um pequeno corte na orelha da criança, em razão de um brinco que ela utilizava no momento da queda. O pai da criança informou que uma cama que fica logo abaixo da janela foi utilizada pela criança para que ela subisse, ocasionando a queda pela janela. “Ela caiu em uma faixa de gramado que tem próximo a parede do prédio, que fica ao lado da calçada. Caiu lateralizada e no local não identificamos lesão aparente”, informa Vieira.

Após isso, os bombeiros encaminharam a menina para o hospital de Laguna, onde foram realizados raio-x e tomografia, posteriormente constatada uma pequena lesão no tórax. De lá, ela foi encaminhada para o Hospital de Tubarão, como procedimento padrão.

De acordo com Vieira, isso se faz necessário, porque quando acontecem quedas consideráveis como essa, caso o paciente evolua para um quadro mais sério, é necessário que esteja em uma unidade hospitalar com Unidade de Terapia Intensiva (UTI) infantil.

“Isso foi feito para observação e recuperação da menina, mas ela não corre risco de morte. O procedimento foi feito por precaução, porque quando há um impacto desse tipo, pode ocorrer o inchaço de algum órgão. Mas ela está bem e se recuperando”, conclui Vieira.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.