Incêndios recentes na região despertam alerta sobre prevenção

Equipamentos de segurança podem evitar curtos-circuitos e prevenirem choques elétricos, que tiveram aumento em todo o país

Divulgação Corpo de Bombeiros
- PUBLICIDADE -

Érik Borges

Criciúma

- PUBLICIDADE -

Na última semana, ao menos nove incêndios foram registrados e precisaram ser combatidos por equipes do Corpo de Bombeiros em cidades da região carbonífera e extremo sul (Amrec e Amesc). O mais recente ocorreu nessa quinta-feira, dia 5, em uma estufa de fumo no bairro Rio Novo, em Orleans. De acordo com o Corpo de Bombeiros, aproximadamente 2 mil litros de água foram utilizados no combate às chamas. O dono local conseguiu evitar que o fogo se espalhasse por todos os blocos da estrutura. Os prejuízos causados chegam a R$ 45 mil.

Ainda nessa semana, um incêndio de grandes proporções atingiu um centro de eventos de Nova Veneza. Segundo os bombeiros, metade da área do local (onde há o restaurante e a cozinha) foi prejudicada pelo fogo. Os profissionais contaram com a ajuda do batalhão de Criciúma.

Ocorrências recentes na Amrec e na Amesc

Nos últimos dias, uma casa (sem moradores) foi destruída pelas chamas em Balneário Gaivota; Uma estufa de fumo pegou fogo em Orleans, causando prejuízo de aproximadamente R$ 20 mil; Uma empresa cerâmica de Orleans foi acometida pelas chamas, onde foram utilizados mais de 3 mil litros de água para combater o fogo; Também em Sombrio, uma residência também teve cozinha e quarto atingidos por um incêndio, no bairro São Luiz.

De acordo recomendações divulgadas pelo Corpo de Bombeiros, milhares de incêndios e óbitos poderiam ser evitados no país caso todas as residências contassem com um dispositivo de prevenção. Trata-se do DR (Diferencial Residual), que evita o curto-circuito e previne choques elétricos.

Aumento de ocorrências

De acordo com o Anuário Estatístico de Acidentes de origem elétrica 2020 – ano base 2019, publicado pela Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade (Abracopel), tanto o choque elétrico como incêndios por sobrecarga aumentaram significativamente.

Os acidentes com choques elétricos no país subiram 12%, passando de 832 para 909 acidentes. As mortes também subiram de 622 para 697. Os incêndios por sobrecarga/curto-circuito subiram de 537 para 656, já as mortes subiram de 61 para 74.

Prevenção

O Corpo de Bombeiros Militar reúne algumas dicas para a população se prevenir contra acidentes de origem elétrica. O Comando de Engenharia de Prevenção de Incêndio (CEPI) sugere algumas atitudes que as pessoas devem tomar para proteger as famílias de incidentes.

Recomendações necessárias para evitar acidentes:

  • Verifique o estado das instalações elétricas;
  • Não use “benjamins” ou extensões. Muitos aparelhos ligados na mesma tomada podem ocasionar sobrecarga e curto-circuito na fiação;
  • Substitua as fiações antigas e desencapadas. Os fios devem ficar isolados em locais adequados, como canaletas e longe do alcance das crianças;
  • As tomadas devem ser protegidas por tampas apropriadas (protetores);
  • Não permita que as crianças manuseiem eletrodomésticos, como secadores de cabelos, sem acompanhamento de adulto;
  • Todos os eletrodomésticos devem ficar longe de líquidos

 

 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.