Estadual: Pai é preso suspeito de estuprar filha de 11 anos em Chapecó

Crime acontecia na residência da família já há dois anos

Foto: Lucas Colombo/ Arquivo TN
- PUBLICIDADE -

Chapecó

Um homem de 49 anos foi preso na manhã desta quarta-feira, dia 14, durante cumprimento de mandado de prisão. Segundo a Polícia Civil, ele é suspeito de estuprar a filha de 11 anos.

- PUBLICIDADE -

Os policiais apuraram que o crime acontecia na residência da família, no interior de Chapecó. Conforme a investigação, o estupro acontecia há dois anos. A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso (DPcami), informou que a ação foi consequência de um inquérito policial instaurado na primeira semana deste mês, após uma denúncia anônima.

“Em um lapso de menos de 24h, a equipe da DPCAMI realizou todas as diligências necessárias para a conclusão do inquérito e representou ao Poder Judiciário pela expedição de mandado de prisão preventiva em desfavor do suspeito, pleito que, após manifestação favorável do Ministério Público, foi deferido pelo juiz competente”, informou a polícia.

De acordo com a Polícia Civil, um laudo pericial confirmou a existência de ruptura himenal na vítima. “A vítima, que era forçada, mediante ameaças, a se submeter à violência sexual e nada relatar a terceiros, acabou relatando detalhadamente os fatos a uma psicóloga policial, bem como indicando testemunhas que confirmaram a sua versão. Foi solicitada a intervenção do Conselho Tutelar, que promoveu o atendimento médico da vítima e o seu acolhimento institucional de emergência”, informou a polícia.

O mandado de prisão foi expedido há uma semana e o suspeito estava foragido, escondido em uma área de mata. Após a prisão, ele foi interrogado – mas optou por permanecer em silêncio. Ele foi encaminhado ao sistema penitenciário, onde fica à disposição da Justiça.

Com informações do Clic RDC

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.