Estadual: Morte de amigas que caíram de cachoeira de Lages foi acidente

O inquérito policial foi enviado à Justiça sem nenhum indiciamento, informou o delegado responsável pelo caso, Raphael Quagliato Bellinati. Queda ocorreu quando as duas estavam tirando fotos

- PUBLICIDADE -

A Polícia Civil concluiu que a morte das amigas de 18 e 19 anos que morreram após caírem de uma cachoeira de 30 metros em Lages, na Serra, foi um acidente. A queda ocorreu em 13 de setembro. O inquérito policial foi enviado à Justiça sem nenhum indiciamento, informou o delegado responsável pelo caso, Raphael Quagliato Bellinati.

Bruna Rafaela Vellasquez, de 18 anos, e a amiga Monique Medeiros de Almeida, de 19 anos, caíram da cachoeira de Salto Rio Caveiras. O inquérito foi concluído na sexta-feira (9). De acordo com o delegado, elas estavam com mais dois amigos, um rapaz e outra jovem.

- PUBLICIDADE -

“Os quatro estavam no rio. Aí o menino e a outra colega ali sentiram que estava escorregadio, estava perigoso, e saíram. Quando as duas foram retornar, escorregaram e, na tentativa de que uma socorresse outra, as duas foram a solo, caíram dali e vieram a óbito”, disse o delegado.

Perigo

A situação ali é problemática por conta de que não existe uma fiscalização. Até porque o acesso às propriedades que dão acesso à cachoeira são propriedades particulares, então a responsabilidade não pode nem ser delegada ao próprio município ou à Secretaria de Turismo”, explicou o delegado.

Segundo ele, há placas que indicam o perigo do local. “Uma das propriedades ali pertence à Celesc. Nesse ponto ali, haveria placas de alerta proibindo a entrada, inclusive alertando para o risco de acidentes. Mas, mesmo assim, as pessoas acabam ignorando isso e tendo acesso, porque eles estavam na parte superior da cachoeira. Então para ter acesso ali por cima, só invadindo essas propriedades”, afirmou.

De acordo com a Prefeitura de Lages, o Salto Rio Caveiras é procurado na cidade pela bela paisagem, mas possui áreas de visitação proibida.

Segundo os socorristas que atenderam o caso no dia do acidente, o local onde ocorreu a queda é de acesso proibido, mas recebe visitantes, especialmente quando está calor.

As jovens despencaram de cerca de 30 metros de altura e caíram sobre as pedras em um local de difícil acesso. Por isso, o helicóptero da Polícia Militar foi utilizado para auxiliar a equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) no resgate.

Quando os socorristas chegaram, Bruna já estava sem vida. Monique sofreu ferimentos graves, foi colocada em uma maca e içada até um campo, onde foi levada de ambulância até o Hospital Tereza Ramos, em Lages. No entanto, ela não resistiu aos ferimentos e morreu ao dar entrada na unidade de saúde.

Após o resgate de Monique, os socorristas do Samu voltaram na cachoeira com auxílio do helicóptero da PM para resgatar o corpo de Bruna.

 

Com informações do G1

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.