Em época de coronavírus, praias não são boas opções

A Polícia Militar da Amrec e da Amesc estará atenta e fiscalizando caso haja a presença de populares nos balneários

- PUBLICIDADE -

 

Mesmo com um decreto estadual que solicita que as pessoas permaneçam em casa por sete dias, a população da região Sul insiste em procurar as praias, e Polícia Militar está orientado o retorno para as casas, já que o período é de prevenção, não de férias.

- PUBLICIDADE -

No Rincão, único balneário da Região Carbonífera, a Polícia Militar (PM), segundo o Sargento Rzatki, já constatou a presença de populares na beira-mar. “Estamos fazendo um trabalho de conscientização na faixa de areia junto da prefeitura que está com um carro de som que passa as orientações para as pessoas. Sabemos que o tempo está propicio, mas é necessário ficar em casa e aguardar essa fase de quarentena”.

Um decreto do prefeito do balneário Jairo Custódio, emitido na tarde de quinta-feira proíbe acesso à praia e lagoas, pelos próximos cinco dias, podendo ser este prazo prorrogado. De acordo com Rzatki, as pessoas podem ser penalizadas. “Se os populares insistirem em ir à praia mesmo com essa orientação, poderão responder criminalmente, por meio de um termo circunstanciado”.

Extremo Sul Catarinense

Conforme o Capitão Diego Schwartz, comandante da 1ª Companhia do 19ª Batalhão de Polícia Militar, que compreende os municípios de Araranguá, Maracajá e Balneário Arroio do Silva, guarnições fazem a orientação da população. “Estamos fazendo a conscientização no Morro dos Conventos e no Arroio do Silva e até o momento não foi constatada nenhuma aglomeração nestes locais, se recebermos alguma denuncia, vamos tomar as medidas necessárias. No fim de semana teremos guarnições vistoriando os balneários”.

Em Balneário Gaivota, que conta com três suspeitas de coronavírus, o 3º sargento Jeferson Coelho, responsável pela Polícia Militar, diz que uma varredura foi feita nesta quinta-feira. “Estivemos na faixa de areia e avistamos algumas famílias aproveitando o bom tempo e solicitamos o retorno para casa. O momento é de permanecermos em nossas residências e continuaremos a fiscalizar”.
Barreiras nas cidades

Diante do aumento fora de controle de pessoas da Região Carbonífera nos Costões de Morro Grande, comandados pelo vice-prefeito local, Eduir Marcelo, o Poka, moradores da comunidade de Três Barras, interromperam a circulação. Os moradores colocaram um caminhão no meio da rua e impedindo o trânsito, com a intenção deles de combater uma possível contaminação por coronavírus.

Conforme o prefeito de Morro Grande, Valdionir Rocha, o fechamento de uma via no município, foi de iniciativa dos moradores. “A prefeitura está seguindo o decreto do governo de Santa Catarina. A comunidade de três barras decidiu fechar o acesso levando em consideração que é o bairro que dá acesso aos nossos pontos turísticos. São mais de 100 sítios, que tem proprietários dos mais diversos municípios da região e a comunidade ficou preocupada com a possibilidade da circulação de pessoas, esta forma, do vírus também”.

Em Timbé do Sul, a situação se repetiu, a iniciativa foi o prefeito Roberto Biava, para fechar o acesso ao município. De acordo com o chefe do executivo municipal, o momento é de recolher. “Essa medida surgiu após constatarmos o interesse de muitas pessoas em vir visitar Timbé do Sul. Esse decreto determina que só entrem pessoas que necessitem fazer entregas em hospitais, unidade de saúdes, padarias e supermercados. Não é momento para visitas, mas após essa crise, nosso município estará de portas abertas para acolher todos os visitantes”.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Por: Eduardo Souza
Em: Araranguá

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.