Política Regional: Pesquisas na Amesc; Réplica de Scaini

Confira essa e outras notícias do cenário político na região da Amesc

- PUBLICIDADE -

VICE-PREFEITO DE MARACAJÁ CRITICA GESTÃO ANTERIOR

O atual vice-prefeito de Maracajá, Ademir de Oliveira (PP), que ficou um pouco afastado da berlinda da política para cuidar de sua saúde, voltou com tudo. Ele participou da “Live da Inovação”, na noite de quarta-feira (21), realizada iniciativa da coligação Evoluir com inovação e transparência (PSD/PSL/PP/PDT), que disputa a Prefeitura de Maracajá.

- PUBLICIDADE -

Bateu na gestão anterior, de Wagner (MDB) e Everaldinho (PT) – que era vice-prefeito, mas agora apoia Brambila e Volnei.

“Não podemos de forma alguma retroceder, voltar ao que era há quatro anos; convoco a todos do nosso 11, do PP, a votar em massa nesta dupla, Brambila e Volnei, do 55”.

Além disso, Ademir falou como ele e Lale encontraram a Prefeitura em janeiro de 2017.

“A unidade de saúde da Vila Beatriz tinha sido fechada na semana seguinte à eleição, em outubro de 2016, e o Cemasas estava completamente paralisado, abandonado, fechado, uma situação que não queremos ver de novo […] em todos os setores o abandono era igual”.

Oliveira demonstrou a relação da administração encerrada em 2016 com os servidores municipais […].

“Havia um grupo de quase 20 servidores, que recebia abono mensal para chegar ao salário mínimo nacional. A partir de 2018 instituímos o piso salarial, que beneficiou 30% do quadro de servidores, cerca de 80 trabalhadores, que ganhavam menos que R$ 1.200,00”, ilustrou.

Brambila e Volnei reafirmaram compromisso de manter a relação de respeito com o Sindicato dos Servidores, iniciada por Arlindo e Ademir, e as conquistas dos últimos anos, como piso salarial atualizado, vale alimentação e abono assiduidade.

“Hoje a menor remuneração paga aos servidores é de R$ 1.700,00”, salientou Ademir de Oliveira, ressaltando “manter estas conquistas é garantir melhor qualidade no serviço público prestado à comunidade”.

PESQUISAS DE OPINIÃO

No mês de Setembro, o Jornal Enfoque Popular, em parceria com o Jornal Voz do Sul, e com a POST TV, firmou uma parceria com o comunicador Roberto Lorenzon, que atua na região Oeste, dono do site www.robertolorenzon.com.br, profissional do rádio, com atuação em quase 40 rádios daquela região.

Lorenzon é o fundador da Pop Pesquisas e Comunicações há 16 anos atrás, ou simplesmente Pop Pesquisa de Opinião Pública. O Instituto faz pesquisas em diversas cidades de Santa Catarina e também do Paraná.

Com isto, os veículos de comunicação deste grupo, irão divulgar nos próximos dias e até a semana da eleição, números de intenção de votos de pesquisas realizadas na região da Amesc.

“A Pop Pesquisas e Comunicações acompanha de perto o comportamento e as preferências da população com pesquisas e oferecemos produtos e serviços variados que ajudam a antecipar tendências e traduzir o sentimento da sociedade diante dos mais diferentes assuntos e situações. Desenvolvemos pesquisas de opinião pública sobre Política e pesquisas de mercado”, comenta Lorenzon.

RÉPLICA DA INFORMAÇÃO

A coluna havia informado que o candidato a prefeito Evandro Scaini (PSL) havia se comprometido em construir um Centro de Multiuso. Na nota “VERBA CARIMBADA”, a ex secretária de Assistência Social, Avanei Vieira, disse que “a área adquirida para a implantação do Centro de Multiuso para área social foi “através de recursos do Fundo Municipal de Assistência Social (FMAS), pago em 2018 com aprovação do Conselho Municipal de Assistência Social (CMAS), projeto da Assistência Social com recursos já destinados por deputado para a construção, independente de quem for o próximo prefeito”.

TRÉPLICA DA INFORMAÇÃO

Scaini replicou a informação:

“Fico muito triste por ver escrita em sua coluna uma informação tão distorcida e inverdade, pois, esse terreno foi desapropriado e pago em 2014 pelo município com recursos próprios. E os projetos elaborados e pagos também foram com recursos próprios. E a pessoa que te deu as informações não participou de nenhuma ação inclusive ela na época era somente uma diretora. Cada vez fico mais abismado com tanta maldade das partes”.

SUSPENSO FUNDO DO PODEMOS

O Pleno do Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina, em sessão realizada nessa terça-feira (20), julgou não prestadas as contas do partido Podemos (PODE) de Santa Catarina, referentes às Eleições de 2018, determinando a suspensão do repasse por 12 meses, ao órgão estadual, das quotas do Fundo Partidário.

Segundo o voto do juiz relator Rodrigo Fernandes, após a análise da documentação apresentada pelo Podemos, a Secretaria de Controle Interno e Auditoria (SCIA) do TRE-SC informou que o partido não prestou contas finais relativas ao segundo turno das Eleições de 2018 no prazo previsto no artigo 52, § 1º, II, da Resolução TSE n° 23.553/2017.

Em razão dessa informação, o então relator, juiz Fernando Luz da Gama Lobo D Eça, determinou a citação do partido para prestar sua contabilidade final. Devidamente citado, o partido não se manifestou.

“Assim, filio-me ao entendimento de nosso Tribunal, elucidando que, no caso em tela, em virtude do silêncio da agremiação partidária, somado ao fato de se tratar de prestação de contas de campanha, deve ser aplicada a suspensão de recebimento de quotas do Fundo Partidário no patamar máximo, por ser medida de direito e justiça”, apontou o juiz relator.

Por unanimidade, os juízes do Pleno acompanharam o voto do relator que determinou a suspensão por 12 meses do repasse, ao órgão estadual, das quotas do Fundo Partidário,  a partir do ano seguinte ao do trânsito em julgado desta decisão, procedendo-se à anotação no Sistema de Informações de Contas Eleitorais e Partidárias.

 

Com informações de Everaldo Silveira – Post TV e Enfoque Popular

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.