Política e comunicação pautam encontro com o governador

Carlos Moisés recebeu proprietários dos jornais de maior circulação do Estado para encontro na Casa d'Agronômica

- PUBLICIDADE -

Florianópolis

Política, economia e comunicação. Esses foram alguns dos assuntos discutidos na manhã desta terça-feira, entre o governador Carlos Moisés (PSL) e os proprietários dos três jornais impressos de maior circulação de Santa Catarina. Além de Edson da Soler, diretor geral do Grupo SL de Comunicação, o café, realizado na Casa d’Agronômica, em Florianópolis, contou também com a presença de Cláudio Schlindwein, do jornal O Município, de Brusque; de Cezar Celeski, do jornal A Gazeta, de São Bento do Sul; e do secretário de Estado da Comunicação, Gonzalo Pereira.

- PUBLICIDADE -

Durante 1h30, o governador expôs aos empresários as visões que tem da administração estadual e também sobre a própria comunicação. “Ele disse que a prioridade dele é manter esse cuidado que ele está tendo com a pandemia, mas ao mesmo tempo, está preocupado com a economia do Estado, com a indústria, está fazendo o que pode. Que se alguém fizer alguma coisa errada no governo, ele tira, e se descobrir alguma coisa errada, independentemente de estar no partido dele ou não, ele tira. Ele quer fazer um governo tranquilo. Contou que tem muitas obras que pegou do outro governo em andamento, e obras que vai fazer. Que esse é um momento muito delicado que Santa Catarina, o Brasil e o mundo estão passando. Mas que está com as contas em dia. Os funcionários públicos. Foi uma conversa boa, tranquila. Ele disse que tem um Estado todo na mão, tem que cuidar, e não é fácil. E tem que ter gente competente ao lado. Não é fácil, é complicado. Mas senti uma firmeza e tranquilidade”, conta Da Soler.

Impressão positiva

Segundo o diretor geral do Grupo SL de Comunicação, a impressão que fica é positiva. “É a primeira vez quer eu converso com ele desde que assumiu. Não havia conversado com ele antes. E senti ele muito tranquilo. Nos atendeu muito bem. Saí com uma impressão positiva. A gente, como formador de opinião e como veículo de comunicação, saí com uma impressão positiva da conversa. E eu senti isso. Senti ele bastante animado”, revela.

Sobre o momento atual enfrentado pelo Governo do Estado, principalmente o caso da compra de 200 respiradores por R$ 33 milhões, com dispensa de licitação e pagamento antecipado, Moisés confirmou ser o mais difícil. “Eu fiz a pergunta sobre o momento mais delicado que ele teve no governo, e ele disse que foi sim, o caso dos respiradores, mas que está tranquilo, que estão cuidando disso, e que o governo dele é um governo seguro, e que ele está fazendo o papel de governador do Estado de Santa Catarina da forma mais tranquila possível”, contou Da Soler.

Credibilidade dos veículos regionais

A comunicação e a importância dos veículos também foi um assunto discutido durante o café com o governador. “Ele sabe a importância da comunicação. Sabe da credibilidade do jornal, que os veículos regionais têm a credibilidade para se comunicar. Falamos de economia, de política, da importância da comunicação, a importância do jornal, dos rádios, dos portais. O momento é complicado para todos, mas vamos dar a volta por cima. Pediu o nosso apoio. Ele acha que informação tem que dar com imparcialidade. E a respeito de críticas, ele sabe que isso faz parte, mas que seja críticas construtivas. Que está aqui para ouvir”, explica Da Soler.

O diretor geral do Grupo SL de Comunicação também explicou ao governador que o Tribuna de Notícias é o jornal de maior circulação e maior tiragem no Sul catarinense, e que o papel como veículo de comunicação é informar. “Se estiver ruim, nós vamos mostrar, e se estiver bom, vamos mostrar. Queremos que Santa Catarina cresça. E ele ficou muito contente de ver esse trabalho sério”, completa.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.