“Nunca orientei, determinei ou efetuei pagamento antecipado”, diz Moisés

Em nota, governador afirma que fala de presidente do TCE reforça o que ele já diz desde o início das investigações sobre a compra dos respiradores

Foto: Divulgação/ Secom
- PUBLICIDADE -

Florianópolis

O governador Carlos Moisés se manifestou, através de uma nota oficial, sobre o depoimento do presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE-SC), Adircélio Moraes Ferreira Júnior, divulgado após o procurador-geral de Justiça de Santa Catarina, Fernando Comin, autorizar o compartilhamento de provas da investigação do Ministério Público (MP-SC) sobre a compra dos 200 respiradores com pagamento antecipado.

- PUBLICIDADE -

Segundo Moisés “as falas do presidente só reforçam aquilo que venho dizendo de longa data, inclusive nas informações que prestei à CPI, no sentido de que havia uma discussão jurídica dentro da área técnica da Secretaria de Estado da Administração, com participação, sobretudo, da Procuradoria-Geral do Estado e de outros órgãos, inclusive de controle externo, acerca do pagamento antecipado de insumos durante a Pandemia, que culminou no Projeto de Lei, por mim subscrito, em 31/03/2020”, afirma, negando que tenha procurado o presidente do TCE especificamente para falar sobre pagamento antecipado.

Moisés também garante que nunca orientou, determinou ou efetuou pagamento antecipado em qualquer processo.

Confira a nota completa

Em relação à demanda deste veículo de imprensa e diante do depoimento prestado pelo senhor Adircélio de Moraes, presidente do Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina, ao Ministério Público de Santa Catarina, venho aqui esclarecer, com a máxima convicção, que as falas do presidente só reforçam aquilo que venho dizendo de longa data, inclusive nas informações que prestei à CPI, no sentido de que havia uma discussão jurídica dentro da área técnica da Secretaria de Estado da Administração, com participação, sobretudo, da Procuradoria-Geral do Estado e de outros órgãos, inclusive de controle externo, acerca do pagamento antecipado de insumos durante a Pandemia, que culminou no Projeto de Lei, por mim subscrito, em 31/03/2020.
Nesse contexto, em meu contato com o presidente Adircélio, que não foi para tratar especificamente sobre o assunto pagamento antecipado, mas que foi levantado durante a conversa, acabei já alinhando com o presidente a necessidade de urgência no tema, a fim de subsidiar as áreas técnicas do Governo, extremamente demandadas durante esta Pandemia. Reforço, mais uma vez, que nunca orientei, determinei ou efetuei pagamento antecipado, no referido processo ou em qualquer outro, tendo tomado conhecimento sobre a específica compra mencionada apenas na data de 22/04/2020, como já esclarecido em várias oportunidades.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.