Noi e Eduardo buscam mais quatro anos em Morro da Fumaça

Candidatos à reeleição destacam trabalho feito e projetam realizações caso continuem à frente do Executivo

- PUBLICIDADE -

Eleita em 2016, a dupla Noi Coral e Eduardo Guollo, ambos do PP, querem continuar no comando de Morro da Fumaça pelos próximos quatro anos. Candidatos à reeleição, eles destacam que no primeiro mandato, o principal trabalho foi “organizar a casa”. Mas mesmo assim, a promessa é de “pé no chão”.

“No primeiro mandato, não prometemos nada e fizemos muito. E agora não é diferente. Não estamos prometendo obras astronômicas sem saber se o município terá condições financeiras para executar”, afirma o candidato à reeleição.

- PUBLICIDADE -

Já o vice-prefeito, Eduardo Guollo, destaca o trabalho realizado e os investimentos que foram realizados nos quatro anos. “A grande bandeira era recuperar o tempo perdido. E nada acontece do dia para a noite. Tinha que organizar. E agora a gente sabe onde quer chegar. Nos próximos quatro anos, a cidade vai ficar ainda mais bonita. Melhor conforto e qualidade de vida. Foram R$ 30 milhões de investimento. Em um município como Morro da Fumaça, é algo que a gente nunca viu antes. Enquanto a antiga gestão investiu R$ 2 milhões de recursos próprios, nós investimos R$ 12 milhões. Fruto da transparência do trabalho bem feito. Economizamos no dia a dia e não atrapalhou em nada o serviço. Pelo contrário”, analisa.

Para Noi Coral, a grande conquista nos quatro anos em que esteve à frente do Executivo fumacense foi a confiança dos moradores, o que lhe qualificaria para comandar o município por mais um mandato. “O que mudou, que a gente mais sente na rua, é a confiança no gestor. Hoje as pessoas falam que sentem orgulho de morar em Morro da Fumaça. Antes não tinha. A cidade estava abandonada, tinha ruas de estrada de chão no centro. Não tinha sinalização, cidade suja, dois ginásios de esportes, um no centro e um no distrito, em condições precárias. Nossa frota estava sucateada. Investimos mais de R$ 1 milhão para renovar a frota”, conta. “Nosso município era o patinho feio da comarca. Gaeco, denúncia de todo tipo que pode imaginar. E uma das minhas maiores preocupações quando assumi, era conquistar a confiança da população. E foram quatro anos sem responder nenhum processo. A gente cuida muito das compras. O que é pago, como é pago, qualidade do serviço”, completa.

O prefeito também destaca como um marco, o cancelamento do contrato com a Casan, para instalar o Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae). “Era um sistema sucateado. O cidadão pagava a fatura e não tinha atendimento, não tinha água de qualidade e não sabia para onde ia o dinheiro. Fizemos vários quilômetros de redes de canos. Já investimos quase R$ 2 milhões. Revisamos o plano de saneamento. Temos edital pronto para licitar um projeto de tratamento de esgoto. Nós colocamos água para famílias que sofriam com a falta. Tinha região que faltava água todo dia. E hoje não existe mais falta de água no município”, afirma.

Na infraestrutura, Noi Coral afirma que entre recapeamento, asfalto novo e pavimentação com lajota, foram 22 quilômetros. “Recebemos a cidade com mais de 120 ruas (de bairro) por fazer. Vamos fechar o mandato com quase 70 ruas”.

Projetos na saúde e educação

Segundo o prefeito e candidato à reeleição, há projetos prontos para diversos investimentos na saúde e educação. “Investimos muito forte na saúde. Reformamos duas unidades de saúde, com projeto para reformar mais oito. Projeto do centro de especialidades, de uma sede própria para o Caps. Trocamos 100% da frota da saúde. Modernizando almoxarifado. Antes, o medicamento era distribuído na caderneta, hoje é com código de barra. Não temos medo de falar que o nosso município é um dos melhores na questão da saúde da Amrec. Existe fila, mas é porque oferecemos muito. Na educação, ampliamos em 150 vagas nas creches. Temos agora um projeto para fazer uma escola. Vamos desmanchar a escola mais antiga no bairro Naspolini e fazer uma escola nova. Uma obra diferenciada. A previsão, se ficarmos mais quatro anos, é licitar em janeiro a primeira parte. Vamos virar o mandato com R$ 1 milhão separado para essa escola”, conta.

O maior projeto na saúde, porém, é previsto para o próximo ano, na área da cardiologia. “Saúde não é só dar remédio, dar exame. Tem quem fazer um trabalho para prolongar a vida do cidadão. Estamos conversando com um renomado médico de Criciúma, o doutor Christian Dal Pont desde 2019.E vamos lançar no Plano de Governo, o cardiologista na prevenção de doenças do cidadão fumancense. O médico vai fazer o trabalho gratuitamente para o cidadão. O município colocou R$ 200 mil no orçamento para o projeto. Vai acompanhar o cidadão. Um exame que vai ser solicitado de início, que mostra a chance real da pessoa sofrer infarto ou AVC nos próximos 10 anos. E vai fazer o acompanhamento”, explica.

Área industrial

Outro objetivo é criar uma segunda área industrial no município. “Estamos implantando a primeira. Não vai ficar pronta neste ano. E já temos o terreno reservado de 20 hectares. Dá 200 mil metros quadrados. Vai ser no Distrito de Estação Cocal. Já temos onde buscar o recurso. A área industrial vai custar, com tudo, em torno de R$ 4 milhões. E eu digo que a partir deste próximo mandato, a situação econômica do município vai subir para outro patamar”, completa Noi

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.