Moacir Pereira: 2020 e o projeto do MDB

Leia a coluna completa no Jornal Tribuna de Notícias

- PUBLICIDADE -

A hipótese de participação do MDB no governo Moisés da Silva está totalmente descartada neste momento. A bancada estadual, que tem o poder de decisão, estará reunida no dia 31 de julho e só naquele evento tomará uma posição oficial.

Informações do líder na Assembleia Legislativa, deputado Luiz Fernando Vampiro, ao destacar que a bancada estadual nunca esteve tão unida como agora. Lembra que de fevereiro de 2019 até junho de 2020 os nove deputados votaram fechados, sem qualquer divergência em relação a qualquer projeto governamental ou de origem parlamentar. “A situação atual no governo estadual é muito complexa. O governador deveria ter construído uma parceria no ano passado. Hoje, o caminho é muito difícil”, acrescentou Vampiro.

- PUBLICIDADE -

Ouvido sobre a anunciada candidatura do senador Dário Berger ao governo em 2022, destacou que é cedo para proclamar projetos majoritários e disse que tudo vai depender das eleições municipais de novembro. O que tem havido até agora em 2020 são conversas pontuais entre deputados do MDB e secretários estaduais, lembra o líder. Citou o exemplo desta semana, quando o deputado Mauro de Nadal tratou do porto seco de Dionísio Cerqueira com o secretário da Fazenda, Paulo Eli. E assim, outros deputados tratam de reivindicações regionais com autoridades de diferentes áreas.

O ex-governador Eduardo Pinho Moreira vem defendendo a candidatura Dário Berger ao governo e avalia que o maior desgaste eleitoral do MDB ocorreu em 2018.

O conteúdo completo você acompanha na edição impressa do Jornal Tribuna de Notícias ou no TN Digital. Leia esta e muitas outras colunas, ligue para o (48) 3478-2900 e assine!

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.