Impeachment: Moisés tem maioria pela absolvição e deve voltar ao cargo

Os desembargadores Carlos Alberto Civinski, Sergio Rizelo, Cláudia Lambert de Faria e Rubens Schulz reafirmaram as posições da primeira votação

Foto: Valter Campanato/ABR
- PUBLICIDADE -

Florianópolis

O governador afastado Carlos Moisés da Silva já tem maioria para ser absolvido pelo Tribunal Especial de Julgamento do Impeachment. Até o início da tarde, houve sete manifestações de membros do Tribunal, que indicam que Moisés será absolvido e voltará ao cargo.

- PUBLICIDADE -

Os desembargadores Carlos Alberto Civinski, Sergio Rizelo, Cláudia Lambert de Faria e Rubens Schulz reafirmaram as posições da primeira votação. Os três sinalizaram de forma contundente de que votarão pelo arquivamento da denúncia.

Também se manifestaram os deputados Kennedy Nunes (PSD) e Mauricio Eskudlark (PL). Nunes pediu vista, o que deve ser negado pelo tribunal ao final das discussões. Já Eskudlark afirmou que a decisão do TJSC de considerar o pagamento da verba de equivalência como legal foi esclarecedora e sinalizou que deve alterar o voto.

O deputado Sargento Lima (PSL) confirmou que votará pela cassação de Moisés.

Mesmo assim, Moisés já tem os votos necessários pelo arquivamento do processo. Para ser absolvido, ele precisa de pelo menos quatro votos entre os 10 membros.

A sessão segue com as falas do deputado Luiz Fernando Vampiro (MDB), desembargador Luiz Felipe Schuch, e deputado Laércio Schuster (PSB).

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.