Godoi foca em uma administração técnica para Forquilhinha

Candidato a prefeito foca em fomentar empregos e desburocratizar a máquina

Foto: Tiago Monte/TN
- PUBLICIDADE -

Thiago Oliveira 

Fazer mais, gastando menos, a partir de uma administração técnica. Essa é a proposta de Geovane de Godoi e Laércio Colombo, respectivamente, candidatos do PL a prefeito e vice de Forquilhinha.  Empresários, buscam o exemplo de administração de outros municípios da região. “Não somos políticos de carreira e queremos dar mais qualidade de vida ao povo de Forquilhinha. Nós já registarmos em cartório que o nosso salário de prefeito, nós vamos doar para as pessoas mais necessitadas do município. Isso prova o quanto a gente quer mudar Forquilhinha. Não queremos ser prefeito para se dedicar do salário que vamos receber ou qualquer outro benefício. Queremos ser prefeito porque sabemos a real necessidade do município de gestores, administradores técnicos. E não políticos. Baseado em outros municípios da região, é muito notável o crescimento dos municípios quando o povo decidiu votar em administradores para tocar a prefeitura, a empresa que é do povo, em relação aos políticos”, destaca Godoi.

- PUBLICIDADE -

Emprego e renda 

Para o candidato a prefeito, uma das prioridades é a geração de emprego e renda. Tanto que ele garante que já tem empresas confirmadas para e instalar no município, caso seja eleito. “Temos quatro indústrias confirmadas pela credibilidade que temos junto aos empresários, por não termos na nossa coligação o apoio de partidos esquerdistas. E isso nos dá credibilidade para virem se instalar no município de Forquilhinha”, conta.  Godoi se diz contrário a instalação de parques industriais, principalmente na Rodovia Jacob Westrup, por onde ele acredita que passa o futuro de Forquilhinha. O candidato a prefeito defende a instalação nas comunidades rurais, de modo que os moradores não precisem ir trabalhar em outros municípios. “No bairro Santa Terezinha, por exemplo, vamos instalar uma indústria de conserva. Assim, o povo vai trabalhar muito próximo. A pessoa pode até almoçar em casa se quiser. Pode trabalhar de bicicleta ou a pé. Ela vai economizar duas horas de sua vida de ônibus, carro ou moto para trabalhar nos municípios vizinhos. Isso é qualidade de vida. E gasta o seu dinheiro no comércio local. Seja no bairro ou no centro de Forquilhinha. Essa visão que temos como empresário, que é muito diferenciada do político”, afirma.

O postulante ao Executivo promete também desburocratizar a instalação de novas empresas. “Quando alguém pensa em colocar uma indústria, um comércio em Forquilhinha, é massacrado pela prefeitura, cobrando alvará, licença. São muitas regras e normas que o empresário desanima. Leva de três a quatro meses para conseguir a instalação de uma indústria só na parte burocrática. Pensamos diferente. Vamos nos bairros, fazer o levantamento de quem quer começar um micro, pequeno, médio negócio e construir um pavilhão, definir boxes com os mesmos tamanhos e ceder a essas pessoas o uso ao menos por 12 meses, sem cobrar alvará, licença, regras que hoje o município tem. Queremos incentivar. Vamos inverter o papel de hoje”.

Dos jovens aos idosos

Na educação, uma das ideias é ampliar o funcionamento das creches, para que continuem abertas no fim do ano. “Também queremos aumentar e muito a parte de bolsas de estudo. Ajudar o jovem, porque educação é fundamental. Quanto mais educação, mais independente fica o ser humano. Temos que tirar as algemas do jovem. Queremos que todos sejam estudiosos”, adianta.

Além dos jovens, um dos projetos é para os idosos. “Defendemos a Casa Dia, que é uma espécie de creche para idosos. Às vezes o homem trabalha, e a mulher não consegue porque precisa cuidar de um pai, da mãe, de um familiar que não pode ser abandonado. Por isso não pode trabalhar fora de casa, e o projeto vem para resolver isso. E o idoso também vai se libertar de ficar dentro de casa. Isso incomoda muito o bem estar desse idoso. Então ele vai ser levado na parte da manhã. Vai ter enfermeiro, médico, sala de meditação, curativo, aparelho de fisioterapia. As mulheres vão ter tricô, crochê. Os homens tem jogo de bocha, outros esportes. Eles vão ter atividades que hoje não tem dentro de casa. Vão ter uma conversa entre eles, ajuda a interagir”, conta Godoi.

Na saúde, além de investir em um posto de saúde para o bairro Saturno, uma ideia é mudar a maneira como as consultas são marcadas. “Hoje o cidadão vai às 4, 5 da manhã no frio, na chuva para buscar um número de atendimento. E queremos fazer por aplicativo. Não tem a necessidade de 4, 5 da manhã ir lá e não ter número”, antecipa Colombo.

Turismo e saneamento

Godoi também promete investir no turismo, modificando o centro da cidade. Entre as ideias, está a reforma da pista de skate, que receberia uma estrutura profissional. Em um dos lados, a construção de uma praça. Do outro, um estacionamento para fomentar o comércio. “No fundo do estacionamento, vamos fazer uma segunda ponte férrea, que precisa. Muito bonita, com dois níveis. Atravessando o rio com a ponte férrea, vamos construir a segunda praça. Vamos ter o monumento à Bíblia e também a estátua da falecida Zilda Arns, e queremos fazer esse monumento dedicado a ela”, revela.

Também é planejada a construção de uma Praça de Alimentação na Rua Coberta, integrando o artesanato e a agricultura familiar do município e apresentação de artistas locais.  Outra meta é desfazer o contrato com a Casan e criar o Samae. “Hoje quem paga o saneamento básico não tem condição financeira para isso. A população é escrava da Casan. Em Morro da Fumaça, a água era tratada pela Casan. O prefeito retirou há dois anos a Casan e hoje faz um tratamento municipal com o Samae. Hoje tem água de mais qualidade. Não falta mais água e o cidadão que pagava R$ 200, hoje paga menos de R$ 60. Isso é trazer qualidade de vida ao munícipe”, completa.

 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.