Frigo e Milanez apostam na experiência em Nova Veneza

Candidato a prefeito busca o cargo pela quarta vez, enquanto o vice já comandou o município

- PUBLICIDADE -

Nova Veneza

Experiência. Essa é a aposta de Rogério Frigo, o Géio (PSDB) para vencer as eleições do dia 15 de novembro. Prefeito de Nova Veneza por três mandatos (de 2005 a 2012 e desde 2017), ele busca mais quatro anos à frente do município. E para isso, conta com o ex-prefeito Elzio Milanez (PSD) como candidato a vice.

- PUBLICIDADE -

“A experiência do homem público ajuda muito. Não tem canto do município que eu não conheço. Não tem comunidade que eu não conheço as necessidades. E isso com certeza faz a diferença. Temos muito a trabalhar por Nova Veneza. A minha experiência, somada à experiência do Elzio. Vamos fazer uma grande administração”, afirmou o candidato à reeleição.

Já o postulante a vice-prefeito já comandou o município entre 1989 e 1992, além de trabalhar em diversos governos como secretário de Educação, cargo que também ocupou a nível regional. “Uma pergunta que muitas pessoas me fazem. Que eu fui prefeito e agora vou ser candidato a vice e eu respondo que para mim é uma honra ser candidato a vice do município de Nova Veneza, que eu amo. E é um orgulho, sim, ser vice na chapa do Rogério Frigo. Nova Veneza não pode parar. E por isso estamos unidos, para que se o povo assim quiser, fazer o nosso município crescer”, completa Milanez.

Participação da comunidade

Frigo conta que quando reassumiu a prefeitura, em 2017, dividiu as atuações de acordo com os anos. “Tínhamos uma planejamento administrativo que no primeiro ano, iríamos organizar a casa, colocar a casa em dia, elaborar os projetos e buscar os recursos necessários para cumprir o Plano de Governo. E decidimos que iríamos executar os nossos compromissos do Plano no segundo e terceiro ano, para no último, encerar, deixando as contas em dias, as obras em dia, e foi o que aconteceu. Imaginamos que não iríamos executar as obras no último ano. Mas apesar da pandemia, as obras não pararam, o trabalho não parou. Várias obras que não tínhamos prometido para a população. Mas tivemos a felicidade de fazer essas conquistas”, conta.

Mesmo sem usar a expressão “governo participativo”, cada vez mais comum, Frigo prega esse modelo, com a comunidade determinando quais são as prioridades da administração. “Além de nós investirmos em todos os setores, nós temos um sistema de administrar. E o Elzio também entende como o melhor sistema. Vamos fazer como fizemos na eleição passada. Estamos colhendo materiais, opiniões em cada setor, em cada comunidade. Disso tudo nós vamos elaborar o nosso Plano de Governo. O meu sistema é organizar dentro das necessidades do município e executarmos todo ele. Nossa bandeira é ouvir as comunidades, as entidades, o município, ouvir o que eles querem para Nova Veneza no futuro”, explica.

Projetos para o futuro

Entre os projetos idealizados para o próximos quatro anos, um deles é um sonho antigo do turismo da Capital Nacional da Gastronomia Típica Italiana. “Queremos revolucionar o turismo com a construção do canal da gôndola. Não fizemos esse ano não por falta de dinheiro, mas pela pandemia, que não possibilitou da gente fazer a negociação. Trazer a gôndola para Nova Veneza e construir o canal. Já temos onde buscar o recurso, deputados comprometidos com esse projeto”, revela Frigo.

Outra meta do candidato à reeleição é ter o município totalmente asfaltado. “Temos vários projetos para lançar. É um sonho de Nova Veneza e um compromisso nosso para a próxima administração, que é zerar o déficit de pavimentação urbana. Falta muito pouco. O Distrito de Caravaggio, quando entramos, tinha 60 ruas, para serem pavimentadas. E já pavimentamos 45. O déficit é muito pequeno. Esse é o compromisso. Queremos levar mais pavimentação para o interior. Que o agricultor tenha acesso rápido. Tanto para o município quanto para outros municípios”, adianta.

Instalação de empresas

Frigo promete também dar atenção à instalação de empresas no município. “Vamos continuar dando apoio às pequenas empresas. Elas estão despertando para se instalar em Nova Veneza. Vamos comprar terrenos para dar oportunidade às pequenas empresas. No nosso governo, nenhum empresa deixou de se instalar. Todas foram atendidas. De uma forma ou de outra. E Nova Veneza é uma cidade que importa mão de obra. Não tem desemprego em Nova Veneza. Caravaggio emprega, em média, 2 mil, 2,5 mil pessoas. Só a JBS tem 1,7 mil. Várias pequenas empresas empregam 40, 50 pessoas cada. Em São Bento Baixo, a Damyller emprega mais e 1,5 mil. Fora a nossa agricultura. E ainda assim, vamos trabalhar cada vez mais. Nosso trabalho é feito no dia a dia. Nos dedicamos muito ao nosso município. E temos o prazer de dizer que Nova Veneza vai muito bem”, completa.

 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.