Fernando de Fáveri destaca Plano de Governo como compromisso

Entre as prioridades, um projeto para a construção de uma barragem, com o objetivo de acabar com a falta de água

Foto: Heitor Araújo/ TN
- PUBLICIDADE -

Cocal do Sul

Eleito no último domingo, com 5.674 votos, o equivalente a 53,25%, Fernando de Fáveri será o novo prefeito de Cocal do Sul. E a partir do dia 1º de janeiro de 2021 ele terá, ao lado do vice Erik Zeferino (PL), uma série de compromissos, destacados através do Plano de Governo.

- PUBLICIDADE -

A lista contém 141 tópicos, divididos em 14 assuntos: administração, desenvolvimento econômico e geração de emprego, saúde, educação, saneamento/Samae, meio ambiente, ação social/habitação, esporte e lazer, trânsito e urbanismo, pavimentação, cultura e turismo, agricultura, segurança, e participação popular.

Segundo o prefeito eleito, todo o projeto foi feito com a participação popular. “Todo o plano foi feito ouvindo a comunidade. O que está ali foi o que ouvimos nas ruas, nas associações de moradores, empresários, comerciantes, entidades. A gente trabalhou desta fora”, explica.

Fernando diz que para o início do governo foram destacados três pontos, e um deles é uma prioridade, já que o município tem sofrido com a falta de chuva. “Vamos trabalhar com três pilares. O primeiro é a saúde. Principalmente no 24 horas, que é uma necessidade, de ter raio-x. Depois a educação. E principalmente, conseguir armazenar água através de novos reservatórios, novas barragens. São ações de imediato. Fazer projetos para barragem, para que a gente assegure, nos próximos 50 anos, água com qualidade para a população”, adianta.

“A gente não colocou nada que não podia ser feito”

O prefeito eleito destacou o Plano de Governo como um compromisso para os próximos quatro anos. “Com certeza, a gente não colocou nada que não podia ser feito. Um anseio da sociedade. Por isso ganhamos a eleição. São ações voltadas para o que a sociedade solicita e que a gente analisou, que eram fáceis e simples de fazer. Basta o olhar de gestor municipal, entendendo o sentimento do povo do que eles precisam. Eles não querem obras faraônicas. Querem ações. Querem ser atendidos”, destaca.

“Ganhamos as eleições porque a população sentiu um distanciamento da administração com o povo. Por isso queremos fazer um governo voltado para o cidadão. Para nós, o cidadão é mais importante que o asfalto. Os atendimentos na saúde, o ensino integral, curso técnico profissionalizante, água, a volta das atividades esportivas que Cocal foi referência e hoje foram abandonadas, como os jogos interbairros. E ouvir a comunidade. Quem conhece a realidade de cada bairro, de cada rua é quem mora ali. Vamos fazer um governo muito participativo mesmo, até porque não sou o dono da verdade e nem o inventor da roda. Quanto mais a gente ouve, menos a gente erra. Vamos administrar recursos públicos e vamos valorizar cada centavo do contribuinte, sempre ouvindo e prestando contas”, completa.

Transição

Com 44 dias até a posse, o prefeito eleito já planeja a transição junto ao atual gestor, Ademir Magagnin (PP). “O primeiro passo, estamos encaminhando um ofício ao governo municipal para formar uma equipe de transição. Dados da Administração Municipal, de como vai concluir a gestão. A gente vai poder montar aquilo que a gente pretende dentro da nossa cidade. A nossa ideia é fazer, em janeiro ainda, uma chamada para Câmara Municipal de Vereadores, uma sessão extraordinária, para fazer uma minirreforma administrativa e após essas ações que a gente quer fazer com essa transição, a gente vai deliberando e definindo quais assumirão os cargos de secretários na cidade. Até o momento não temos a definição. Primeiro queremos saber como está a situação da prefeitura. E com muita calma, com muita tranquilidade, nós vamos fazendo essa ações”, afirma Fernando.

Confira aqui o plano de governo completo

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.