Entrega da Serra da Rocinha ficará para março de 2021

Prevista para o fim deste ano, conclusão da obra atrasou devido às chuvas e a necessidade de novas contenções

- PUBLICIDADE -

Timbé do Sul

Na última semana, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) entregou 8,8 quilômetros de pista pavimentada no contorno de Timbé do Sul, como parte das obras de implantação e pavimentação da BR-285. E apesar dos trabalhos estarem na reta final, um sinal de alerta foi aceso.

- PUBLICIDADE -

Apesar da promessa do ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, de que até o fim do ano, o trecho catarinense seria concluído, o prazo irá se estender para 2021. Devido às chuvas do último mês, os trabalhos precisaram ser interrompidos várias vezes, colocando em dúvida a finalização da obra.
A nova previsão do órgão é que a pavimentação da serra seja concluída em até março de 2021. “Foi a chuva e mais algumas contenções que não estavam previstas. A obra tem 22 quilômetros. São quase 9 na parte urbana de Timbé do Sul, que já entregamos. E a parte da serra são mais 13 quilômetros, dos quais 8 estão concluídos. Estamos trabalhando com os 5 quilômetros finais, próximos da divisa com o Rio Grande do Sul. Está sendo feito o trabalho de pavimento de concreto e também as contenções. Largura de plataforma para poder fazer o pavimento, e neste ponto, são oito contenções necessárias para evitar a queda de barreiras que têm acontecido com muita chuva. Era para a entrega ser em dezembro, mas por ter alguns pontos que não estavam previstos. Fizemos trabalhos de sondagem e detectamos a necessidade de fazer novas contenções além do que estavam previstas”, explica o engenheiro do Dnit, Névio Carvalho.

Trabalhos em andamento

Em setembro, a Serra da Rocinha também precisou ser interditada, após um deslizamento de barreira ocasionado pelas fortes chuvas. As equipes do consórcio responsável pelas obras no trecho precisaram realizar a limpeza e desobstrução da pista. “O trabalho está seguindo normalmente. Dos 5 quilômetros que faltam, já tem 4 sendo atacados, com pavimento sendo executado, e um quilometro que tem que fazer primeiro a contenção e depois alargar a pista. É o quilômetro mais complicado, contínuo de contenções. Por uma questão de segurança, não vamos entregar essa obra sem ter todas as contenções realizadas”, explica o engenheiro.
Na Serra da Rocinha, as equipes trabalham na inserção das barreiras de segurança nos oito primeiros quilômetros, que já estão pavimentados com as placas de concreto.

Nos cinco quilômetros finais da Serra da Rocinha, as atividades se dividem em estágios de terraplanagem e de disposição das camadas do pavimento rígido. Os motoristas que utilizam a BR-285 também contam com quatro viadutos posicionados nas curvas mais sinuosas para proporcionar mais segurança.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.