CPI Respiradores: Dois depoimentos estão marcados para esta terça-feira

Entre as testemunhas está o empresário Samuel de Brito Rodovalho, representante da Cima Industries Inc. Medical Division, empresa fornecedora dos equipamentos

Foto: Bruno Collaço/ AGÊNCIA AL
- PUBLICIDADE -

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Respiradores da Assembleia Legislativa tomará mais dois depoimentos na reunião desta terça-feira, dia 23, a partir das 17h. Entre as testemunhas, está o empresário Samuel de Brito Rodovalho, representante da Cima Industries Inc. Medical Division (empresa fornecedora de respiradores).

Ele deporia na reunião da última quinta-feira (18), por meio de videoconferência. Mas como estava no escritório de seus advogados, em Florianópolis, o relator da CPI, deputado Ivan Naatz (PL), apresentou requerimento para que a oitiva fosse presencial. Rodovalho citou que pediu para participar pelo vídeo em função da gravidez da esposa. No entanto, os membros da comissão aprovaram o requerimento de Naatz.

- PUBLICIDADE -

O empresário foi citado no depoimento de Rafael Wekerlin, CEO da Brazilian International Business. Conforme Wekerlin, Rodovalho questionou, em conversa de Whatsapp, sobre como ficaria o pagamento de uma comissão de R$ 3 milhões que teria sido pedida por uma pessoa, pela negociação dos 200 respiradores com a Secretaria de Estado da Saúde (SES). A Cima, empresa representada por Rodovalho, seria a fornecedora dos equipamentos, que viriam da China e seriam importados pela empresa de Wekerlin.

O outro depoimento desta terça será do controlador-geral do Estado, Luiz Felipe Ferreira. Ele foi ouvido pela CPI no dia 21 de maio, mas foi novamente chamado a pedido o relator. Naatz argumentou que, em recente entrevista, Ferreira apresentou informações que poderão colaborar com as investigações da comissão criada pela Alesc para apurar a compra dos 200 respiradores junto à Veigamed com o pagamento antecipado de R$ 33 milhões.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.