CISAMESC e AMESC trabalham para manter distribuição de medicamentos

Devido a pandemia, muitas matérias-primas necessárias para a produção de medicamentos ao mercado brasileiro estão em desabastecimento por problemas de importação

Foto: Divulgação
- PUBLICIDADE -

Araranguá

Devido a pandemia e atual circunstância mundial, muitas matérias-primas necessárias para a produção de medicamentos ao mercado brasileiro estão em desabastecimento por problemas de importação. Pois, estes insumos são provenientes de países como China e Índia. No entanto, o CISAMESC (Consórcio Intermunicipal de Saúde da AMESC) e a AMESC (Associação dos Municípios do Extremo-Sul Catarinense), estão trabalhando para manter da melhor forma possível, a distribuição de medicamentos para o Vale do Araranguá.

- PUBLICIDADE -

Há um trabalho para evitar que a população sinta mais impactos diante da situação com o desabastecimento dos medicamentos. O presidente do CISAMESC, Aldoir Cadorin, prefeito de Ermo, explica que o objetivo é encontrar alternativas, com a busca de distribuidoras, apesar de uma falta generalizada de insumos.

Segundo o secretário-executivo do CISAMESC, Leandro Fernandes, há esforços para manter o máximo possível do fluxo de entregas na região. Conforme o CISAMESC, busca-se amenizar, porque solucionar, momentaneamente, não é possível.

O presidente da AMESC, Ronaldo Pereira da Silva, observa que diálogos são realizados entre as instituições, a fim de buscar soluções e todos estarem a par dos fatos.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.