Belém: a Gruta e a Basílica da Natividade

A coluna completa você confere na edição do Tribuna de Notícias


- PUBLICIDADE -

Segundo lugar sagrado mais visitado na Terra Santa, em Israel – o primeiro é o Santo Sepulcro, em Jerusalém – a Igreja da Natividade tem um rico significado espiritual para o mundo cristão e uma particularidade muito especial para os catarinenses. É uma das igrejas mais antigas do mundo e foi construída sobre a gruta onde teria nascido Jesus Cristo, considerada intocável também para o islamismo e para o judaísmo. Ali, também se realiza no dia 25 de dezembro a tradicional Missa do Galo.

A primeira basílica data do século 4, iniciativa de Helena, mãe do imperador Constantino I. À fervorosa cristã Helena é atribuída também a decisão de erguer o Mosteiro de Santa Catarina no Monte Sinai, Egito, o mais antigo e mais preservado dos mosteiros em todo o mundo.

- PUBLICIDADE -

Anexa à Igreja da Natividade encontra-se a Igreja de Santa Catarina de Alexandria, a padroeira do Estado.

Durante séculos ocorreram incêndios, invasões e destruições de lugares sagrados em Belém, mas o complexo religioso foi preservado justamente pelas garantias dadas pelos líderes muçulmanos desde os primeiros séculos da era cristã.

Foi em Belém que nasceu Davi, o primeiro rei dos judeus, e na Igreja da Natividade que ele foi coroado. Os evangelistas identificam Jesus como “filho de Davi”.

A principal basílica é administrada pelo Patriarcado Grego Ortodoxo de Jerusalém, com estrutura romana característica, com cinco naves.  A igreja tem uma excepcional riqueza artística, com mosaicos dourados nas paredes laterais, maravilhosos castiçais de prata e ricos ornamentos religiosos.

A Gruta da Natividade, principal motivo das peregrinações, está situada numa caverna subterrânea, consagrada como sendo o local exato do nascimento de Cristo. É marcado por um altar e no chão uma linda estrela de prata com 14 pontas, rodeada por lâmpadas de prata lindamente decoradas.

O complexo da Natividade é constituído pela Basílica, a Gruta da Natividade, a Igreja de Santa Catarina, Igreja Armênia Ortodoxa, Gruta do Leite, Mesquita do Califa Omar e a Praça da Manjedoura.

No interior da Basílica da Natividade há outras capelas: a de São José, lembrando a aparição do anjo a José orientando-o para fugir ao Egito; a dos Inocentes, em homenagem às crianças mortas por Herodes; e a de São Jerônimo, onde ele teria traduzido a Bíblia para o latim (a Vulgata).

A Basílica tem uma singularidade: ao contrário de catedrais e igrejas espalhadas pelo mundo, com magníficas portas esculpidas na madeira, no ferro ou no bronze, largas e enormes, na Natividade a entrada se dá por uma pequena porta com apenas 1,30 metro de altura. Chama-se a Porta da Humildade.

São três as versões para esta particularidade: 1. Foi construída pelas Cruzadas no século 14 para impedir entrada a cavalo; 2. A porta impõe humildade a todos os que por ali passarem, exigindo reflexão e oração em seu interior; 3. Foi idealizada para garantir a proteção contra os invasores.

O conteúdo completo você acompanha na edição impressa do Jornal Tribuna de Notícias ou no TN Digital. Leia esta e muitas outras colunas, ligue para o (48) 3478-2900 e assine!

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.