Sem efetividade

Leia a coluna completa no Jornal Tribuna de Notícias

- PUBLICIDADE -

O Criciúma perdeu mais uma na Série C. Uma derrota esperada, afinal jogou diante do Brusque, líder da chave B e dono da melhor campanha. Mas o que preocupa muito é a disparidade entre o Tigre e alguns rivais do grupo. No jogo de ontem, o Brusque foi eficiente, algo que o time de Roberto Cavalo não conseguiu ser. A equipe tricolor teve posse de bola, mas sem criar oportunidades, tanto que o gol de Mauricio nasceu de uma jogada de bola parada. Ou seja, o Tigre foi mais uma vez o retrato fiel dos últimos jogos. Não tem uma jogada de triangulação ou entrosamento. O time que começou razoavelmente bem o campeonato, sucumbiu diante dos problemas como desfalques e leões de atletas.

Time perdido 

- PUBLICIDADE -

O terceiro gol do Brusque, anotado na etapa final, escancarou um grande problema defensivo do Tigre. O zagueiro Carlos Alexandre perdeu o tempo da jogada e no quique da bola deixou o atacante Garcez na cara do Agenor. O gol logo no início da etapa final matou qualquer perspectiva de mudança no placar. Erros individuais começam a aparecer constantemente, e justamente por um coletivo mal montado.

Não tem jeito 

Roberto Cavalo não tem mais de onde extrair dos jogadores do Criciúma. A única chance de se classificar é conseguir alguma coisa com a volta de alguns titulares, depois da recuperação da covid-19 ou de lesões comuns. O mais problemático é que o clube não tem outra alternativa nos bastidores. Ou seja, vai de Roberto Cavalo até o fim.

O conteúdo completo você acompanha na edição impressa do Jornal Tribuna de Notícias ou no TN Digital. Leia esta e muitas outras colunas, ligue para o (48) 3478-2900 e assine!

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.