Últimos dias para comprar os ingressos da Feijoada Mágica Nossa Casa

Evento no sistema drive-thru será realizado no domingo, dia 4 de outubro

Foto: Lucas Colombo/ Arquivo TN
- PUBLICIDADE -

Criciúma

Quem ainda não adquiriu seu ingresso para a 8ª Feijoada Mágica precisa correr. O evento, que é organizado pela Associação Beneficente Nossa Casa e o grupo “Os Chefes”, será realizado no domingo, dia 4 de outubro, na Sociedade Recreativa Mampituba. Contribuindo para a manutenção da Associação, que acolhe crianças e adolescentes em situação de risco social, a Feijoada é um dos principais eventos para angariar recursos.

- PUBLICIDADE -

Os ingressos podem ser comprados nas parceiras da instituição, Alecrim Dourado, Ana Terra Café e Livraria Fátima, ou ainda com os voluntários. Quem quiser receber em casa, pode efetuar a compra no site Tô Pedindo (https://topedindo.com.br/feijoadamagica/criciuma) pelo sistema delivery. Basta digitar na busca “Feijoada Nossa Casa” que o campo de compra é disponibilizado.

A Feijoada inicialmente seria realizada no mês de julho, mas por conta da pandemia do novo coronavírus, a coordenação decidiu adiar. “O ingresso para a data anterior continua valendo. Também mantivemos o mesmo preço do ano passado, R$ 25,00, para que as pessoas possam comprar uma feijoada deliciosa e ainda contribuir com a Casa”, ressaltou a presidente Jucelane Barbosa Marques.

As medidas sanitárias e de prevenção serão adotadas no domingo, para que os profissionais possam trabalhar com segurança e fazer as entregas para os clientes. Desde cedo os Chefes já estarão trabalhando para preparar as delícias. Além da feijoada, o kit terá ainda outros acompanhamentos, como arroz, couve e farofa. A entrega será feita das 11h30 às 13h.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.