Temporais atingem região com maior incidência no verão

Em Criciúma, no sábado, estruturas da prefeitura e do teatro foram prejudicadas com o forte vento

Foto: Guilherme Cordeiro/ TN
- PUBLICIDADE -

Criciúma

É no verão, sobretudo entre os meses de dezembro e março, que há incidência de temporais, como o que atingiu Criciúma no último fim de semana. O fenômeno é caracterizado por chuvas fortes, trovoadas, ventos e, dependendo da intensidade, granizo. Na Capital do Carvão, o vendaval causou prejuízos nas estruturas da prefeitura e no Teatro Municipal Elias Angeloni, que foram reparados durante o dia de ontem.

- PUBLICIDADE -

“Os temporais podem acontecer em qualquer época do ano, um exemplo é o ciclone bomba, que aconteceu do dia 30 de junho para o dia 1º de julho, em pleno inverno. Mas o semestre quente do ano, que é do dia 20 de setembro ao dia 20 de março, chamamos de equinócio da primavera ao equinócio de outono, aumenta bastante a frequência dos temporais”, explica o meteorologista da Epagri/ Ciram, Márcio Sônego.

Com o aumento das temperaturas e da evaporação, a atmosfera tem mais água e energia à disposição, o que favorece o fenômeno. “Chamamos de energia potencial disponível, o que acontece é um sobe e desce de umidade, então isso forma muitas nuvens, nuvens grossas, chamadas convectivas, a principal delas é Cumulonimbus, que causam os temporais, as chuvas, os granizos e assim por diante”, acrescenta Sônego.

Deslocamento do temporal chama atenção

O deslocamento da tempestade registrada no fim de semana chamou a atenção do meteorologista da Epagri.Esse temporal que deu em Criciúma me lembrou do ciclone bomba, isso porque ele se deslocou muito rapidamente, às seis da manhã de sábado essa chuva estava em Uruguaiana, no Rio Grande do Sul, fronteira com Argentina e Uruguai e, às 15h, chegou a Criciúma. Ele caminhou 900 quilômetros em nove horas, foi uma coisa incrível. Foi mais ou menos o que aconteceu no ciclone bomba, um deslocamento muito rápido da linha de instabilidade”, explica Sônego.

Em Criciúma e municípios da região, o temporal registrado está associado à chegada de uma frente fria, que permanece durante essa semana. “Nesse caso, o fenômeno pode acontecer em qualquer hora do dia. O kit completo do fenômeno pode vir com uma chuva forte, granizo, ventania e trovoada, porque é uma linha de nuvens de chuva que se formam e vêm avançando do Sul para o Norte”, comenta Sônego.

Tempestades devem continuar

Com previsão de chuvas normais, até mesmo, acima da média para o litoral catarinense, os temporais devem continuar nos finais de tarde e começo das noites. “Esses fenômenos de verão acontecem mais frequentemente entre 14h às 20h, é o horário mais comum. Eles podem ser localizados, pegar só Urussanga, só Criciúma ou só a barragem do Rio São Bento”, explica.

Tempo bom nesta terça-feira

Conforme o meteorologista Ronaldo Coutinho, a previsão é de tempo bom para esta terça-feira. “Hoje teremos condições de nebulosidade na faixa leste, a chance de chuva é pequena, talvez alguma garoa no começo ou final do dia, mas o tempo é mais para bom com variação de nuvens, hora mais nublado, hora mais aberto com sol, e condições favoráveis a tempo bom, chuva tempo e isolada mais perto da Serra”, finaliza.

 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.