Sul do Estado é aregião com maior porcentagem de ocupação de UTI em SC

Na Amrec, não há mais leitos disponíveis para Covid-19 pelo SUS; região tenta habilitar mais vagas junto ao Estado

Foto: Guilherme Cordeiro/ TN
- PUBLICIDADE -

O Sul é a região catarinense com maior índice de ocupação dos leitos de UTI pelo SUS: 89,6%. As alas destinadas à Covid-19 estão praticamente todas lotadas: na Amrec, as 27 vagas no Hospital São José e as 10 no São Donato estão preenchidas. O disparo recente dos casos e internações pelo novo coronavírus acendem o alerta na região, mas ainda não se fala em novas restrições.

É o que garante o presidente de Amrec, prefeito de Cocal do Sul, Ademir Magagnin. De acordo com ele, será intensificada a conscientização da população e a fiscalização das medidas já impostas.

- PUBLICIDADE -

“Vamos aguardar vir o mapa para ver quais as medidas que serão tomadas. Os hospitais precisam ser mais equipados, está faltando leitos e técnicos para habilitação”, afirmou Magagnin.

Na quinta-feira está marcada uma reunião com a governadora Daniela Reinehr, na qual estão convidados os representantes de todas as regiões do Estado, de acordo com o diretor executivo da Amrec, Giovanni Dagostin.

A Amrec deve solicitar a habilitação de novos leitos de UTI, uma vez que não há mais vagas na região pelo SUS e a situação está delicada também no setor privado.Segundo Magagnin, não se pensa em suspender atividades de comércio e do setor gastronômico.

“Vamos deixar com que as pessoas consigam trabalhar, mas esse tipo de aglomeração (festas, encontros de família e amigos) não tem como. Estamos colocando isso para a sociedade. Hoje não vejo a questão de fechar comércio, bar e restaurante que vá resolver”, sustenta.

Nos bastidores, há o temor da Região Carbonífera retornar ao status gravíssimo de pandemia, assim como em outras regiões do Estado.

São mais de 2,2 mil casos ativos na Amrec. Em Criciúma, maior cidade, há 48 pacientes internados em UTI pela Covid-19, entre rede pública e privada de saúde; número que ainda não atinge o ápice da pandemia vivido em agosto, quando chegaram a estar internadas simultaneamente mais de 50 pessoas.

Porém, há o aumento constante dos índices: no começo de novembro, havia oito pacientes internados em UTI na cidade: número cresceu 500%.

Do ponto de vista da saúde, o colegiado da Amrec decidiu priorizar atendimentos de urgência, pré-natal e síndromes gripais na saúde municipal. O pedido é para que a população evite o deslocamento às unidades de saúde para demais procedimentos.

“Vamos intensificar, em conjunto com outros órgãos o cumprimento das medidas de segurança em bares, restaurantes, lanchonetes, PUBs, eventos e igrejas. Precisamos redobrar os cuidados para manter a segurança” reforça a coordenadora da CIR-Carbonífera e secretaria de saúde de Nova Veneza, Maristela Vitali Cunico.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.