Agro É Tudo: A produção para grandes clientes

Granja de Orleans tem contrato exclusivo com a JBS e produz, aproximadamente, 45 mil ovos, por dia, em época de reprodução

- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Orleans

- PUBLICIDADE -

O projeto Agro É Tudo fala sobre o agronegócio no Sul de Santa Catarina. Em um material especial, você acompanha, diariamente, aqui no portal tnsul.com todos os detalhes sobre as principais atividades, com dados e números que movimentam a economia da Associação dos Municípios da Região Carbonífera (Amrec) e da Associação dos Municípios do Extremo Sul (Amesc).

Com mais de 10 milhões de frangos produzidos, apenas em 2019, Orleans se destaca entre os municípios do Sul do Estado na produção avícola. Toda essa carga se deve, em boa parte, pela parceria firmada entre a Granja Rinaldi e a JBS. “Eles vêm aqui e coletam os nossos ovos. A galinha é deles, assim como a assistência técnica e a ração. A gente entra com a mão de obra e as instalações. O que precisa de investimento para instalação é conosco”, explica Antônio Marcos Rinaldi,  de 31 anos, um dos administradores da empresa, que fica na localidade de Rio Novo. Ele toca o negócio com o pai e o irmão

Os ovos são coletados, a cada dois dias, e levados para a incubadora da empresa, que é terceirizada, e fica em Içara. “Lá é feita a incubação e, depois de 21 dias, nascem os pintos e voltam para os aviários de corte para o crescimento. A nossa fase compreende apenas a produção de ovos, as matrizes”, explica Rinaldi. O ovo sai da granja logo no primeiro dia.

Matrizes são as aves que chegam à granja com cerca de 22 semanas de idade. A produção se inicia na semana 25. “Elas ficam até a semana 66. Depois disso, se faz o abate e um tempo de intervalo e desinfecção até vim a próxima ave. Dá uns 60 dias até fazer o processo. Esse período é variável por ano”, comenta Antônio.

Trabalho que passa entre gerações

A origem da empresa aconteceu com o pai de Antônio Marcos, que tem o mesmo nome do filho. O “seu Antônio” é um dos produtores mais tradicionais de Orleans e Lauro Müller. “A gente trabalha, junto com meu pai, desde os seis anos. Atualmente, temos aviários aqui em Orleans e também em Lauro Müller. A gente está com, aproximadamente, 54 mil aves, nas duas granjas. A produção diária, quando chega ao pico de reprodução, dá, aproximadamente, uns 45 mil ovos por dia. Somadas as duas granjas”, diz.

A parceria com a JBS é antiga. Ela vem desde os tempos da Agroeliane, Ceval e Seara. “Tudo o que a gente tem de patrimonio e renda, até hoje, foi conquistado através de avicultura e essa parceria. Começou com o meu pai. No início, o contrato era com a Seara, depois Bunge, Cargill, Marfrig e JBS”, explica Rinaldi.

A granja tem um contrato de exclusividade com a JBS. Essa estabilidade auxilia também para o crescimento  do segmento. “Eu acredito que a avicultura é uma fonte de renda e alternativa bem importante para a nossa região de Orleans e Lauro Müller. Tem bastante aviário por aqui e ajudam muito para o crescimento da região. Muitas famílias vivem disso”, finaliza.

Melhor desempenho para exportações

Com o mercado internacional aquecido, Santa Catarina comemora o melhor desempenho da história na exportação de carnes. Em 2019, o frango teve o segundo melhor resultado em 22 anos, impulsionando todo o setor de proteína animal. Os catarinenses encerraram o ano com um faturamento de US$ 3,12 bilhões com as exportações de carnes, um crescimento de 19,4% em relação a 2018.

Ao longo do ano, Santa Catarina embarcou 1,7 milhão de toneladas de carne de frango, suína, bovina, de perus, patos, marrecos e demais carnes e miudezas – um aumento de 11% em comparação a 2018. Segundo o analista do Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Epagri/Cepa), Alexandre Giehl, os bons resultados são decorrentes do excelente desempenho das exportações de carne suína e de frango, que tiveram os melhores desempenhos desde 1997, quando os dados começaram a ser analisados.

A carne de frango é o principal produto exportado por Santa Catarina. De janeiro a dezembro foram 1,2 milhão de toneladas vendidas para o mercado externo, com um faturamento que passa de US$ 2,2 bilhões. Santa Catarina teve o segundo melhor resultado da série histórica em 2019 e comemora as conquistas do setor.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.