Praças de pedágios estão com menos oposição no Sul catarinense

A pouco menos de três meses para início das cobranças, setores econômicos e políticos exaltam melhorias na BR-101

Praça de pedágio em construção em Araranguá (Foto: Guilherme Cordeiro/TN)
- PUBLICIDADE -

a passos largos a construção das quatro novas praças de pedágio no trecho Sul da BR-101, entre Passo de Torres e Paulo Lopes. A tendência é pelo começo das cobranças aos veículos no primeiro trimestre do ano que vem, entre fim de fevereiro e meados de março.

O custo da viagem entre Passo de Torres e Florianópolis aumentará em ao menos R$ 8 aos veículos de passeio e de carga e dividirá cidades que dependem economicamente uma da outra, mas, em contrapartida, promete melhorias na rodovia e investimentos nas vias marginais e acessos aos municípios do Sul catarinense.

- PUBLICIDADE -

Melhorias

A estimativa da CCR Via Costeira, empresa que venceu o processo de licitação do pedágio e assinou o termo de concessão junto ao governo federal em julho, e assumiu o trecho Sul de 220 quilômetros da BR-101 em agosto, é de que até o momento, 1,8 mil empregos foram criados. Até junho do ano que vem mais 200 vagas devem ser criadas; em 30 anos, a estimativa é de 3,7 mil empregos gerados.

Imbróglio foi grande, mas preço final agradou

Foi cercada de polêmicas a concessão do trecho Sul da BR-101. Lideranças políticas e empresarias da região, desde o ano passado, buscaram soluções para evitar o leilão da rodovia; a principal reclamação era sobre o preço e número de praças, o que poderia acarretar em perda de competitividade da indústria da região.

O leilão, porém, trouxe uma cobrança menor aos veículos: era estimado em R$ 3,70, mas foi arrematado com R$ 1,97 – valor naturalmente arredondado para R$ 2, mas que pode transformar-se em R$ 2,10 quando iniciarem-se as cobranças, devido à correção inflacionária do período.

Mais informações você confere na versão impressa do jornal Tribuna de Notícias desta segunda-feira, 14 de dezembro. 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.