Plano de Desenvolvimento Regional é apresentado

Além das potencialidades da Amrec elencadas, objetivos foram traçados para os próximos 10 anos

- PUBLICIDADE -

Érik Borges

Criciúma

- PUBLICIDADE -

Transformar a região Sul em uma referência nacional de qualidade de vida, renda e emprego. Esse é um dos principais objetivos traçados pelo Plano de Desenvolvimento Regional desenvolvido pela Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc) em parceria com o Centro Universitário Barriga Verde (Unibave) e colaboração dos 12 municípios que integram a Região Carbonífera (Amrec).

As metas para serem atingidas em até 10 anos foram apresentadas para as autoridades políticas e representantes de entidades em uma videoconferência na noite desta terça-feira, dia 6. Dentre elas estão a geração de empregos e a elevação da qualidade de vida da população.

De acordo com uma das coordenadoras do Observatório de Desenvolvimento Socioeconômico e Inovação da Unesc, Melissa Watanabe, as principais missões dos municípios nesta década será o avanço nas áreas da infraestrutura, agricultura (familiar), educação, cultura, saúde e turismo integrado.

Na área educacional, o plano é apresentado com a necessidade de qualificação com cursos profissionalizantes e estrutura atenta as demandas atuais. Já na infraestrutura, foi delineado o desafio de urbanização em algumas cidades e também de reurbanização em outras, além da segurança, mobilidade e logística. “Também é preciso destacar a preocupação com o planejamento, seja ele através dos planos diretores municipais, ou até mesmo nesse plano de desenvolvimento. Mas o mais importante é que ele seja executado”, diz Melissa.

No turismo, através dos 12 encontros realizados em cada município da Amrec, foi levantada a necessidade de um turismo integrado, seja ele turismo rural, de aventura, ecológico, de negócios ou religioso. “Nisso também entra a lógica da hospitalidade, que é a maneira de servir as pessoas que vêm para a região”, enfatiza Melissa.

A preocupação com os recursos naturais também está presente no documento, que traça as metas de colocar em prática um formato de desenvolvimento que use os recursos de maneira mais racional e até mesmo a devolução de forma correta e adequada ao meio ambiente. “A Amrec desenha um Sul cada vez mais forte. Uma região cheia de potenciais que precisam ser evidenciados para garantir as próximas gerações com um futuro cada vez melhor”, diz a reitora da Unesc, Luciane Ceretta

Durante os 12 encontros virtuais que ocorreram nos últimos meses, 800 participações públicas foram registradas e 1.612 documentos (envolvendo consulta pública e formulários) foram anexados. De acordo com o vice-reitor da Unibave, Guilherme Valente de Souza, esse trabalho mostra que somente o empenho colaborativo como um todo fará a região ser referência nacional e até mesmo internacional nos índices de qualidade de vida, emprego e renda.

Para o vice-presidente da Associação Empresarial de Criciúma (Acic), Valcir Zanette, a força regional se encontra em setores como educação, saúde, cultura e economia. “O que estava nos faltando e o que Amrec e as universidades estão fazendo é organizar esse desenvolvimento entre iniciativa privada, pública e instituições. Nós esperamos que esse trabalho atinja toda a região Sul e, em breve, seremos ainda mais fortes”, conclui Zanette.

Dentre os sonhos propostos no plano estão o desenvolvimento industrial de varejo e serviços; a integração entre os municípios, energias renováveis, ciclovias e sustentabilidade, além de tornar a região referência educacional e na saúde.

No levantamento realizado, a indústria é o setor que mais emprega na região, seguida pelo setor de serviços. A visão de futuro construída no plano de desenvolvimento formou a seguinte frase: “Região reconhecida pela sua elevada qualidade de vida, sustentável em todos os domínios, fundamentada na cooperação entre os seus integrantes, internacionalizada e capaz de reinventar-se continuamente rumo ao futuro”.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.