Meleiro: município completa 59 anos com força na rizicultura

Emancipação ocorreu no dia 27 de novembro de 1961; município é o segundo maior produtor de arroz no Estado

Emancipação foi conquistada no dia 27 de novembro de 1961 (Foto: Arquivo/Suelen Bongiolo/TN)
- PUBLICIDADE -

Hoje o município de Meleiro completa 59 anos. A emancipação conquistada após idas e vindas legislativas ocorreu definitivamente no dia 27 de novembro de 1961, por lei publicada no âmbito estadual.

Perto de se tornar uma cidade sexagenária, Meleiro foi povoada inicialmente por algumas famílias portuguesas, mas desenvolveu-se após a chegada dos italianos ao Sul Catarinense. Atualmente, a economia do município é pautada pela rizicultura, mas projeta-se um protagonismo regional na avicultura.

- PUBLICIDADE -

O prefeito Éder Mattos, prestes a encerrar a primeira gestão no município e preparando-se para o segundo mandato de mais quatro anos, destaca também a mobilidade como um novo diferencial do município de pouco mais de 7 mil habitantes.

Na avaliação do prefeito, o grande desafio para a população será a superação da crise econômica causada pela pandemia do coronavírus.

“Temos que estar ligados com o problema da pandemia, que não encerrou, ela voltou com tudo e precisamos de um espírito natalino diferenciado”, afirma o prefeito.

“Não teremos aquela convivência social de outros anos e esperar um ano novo. Entender que a política passou o momento do debate eleitoral e se dar as mãos para o próximo quadriênio. É o que esperamos da comunidade e políticos”, completou.

A importância de Meleiro na agricultura pode ser medida pela rizicultura. De acordo com a Epagri, trata-se da segunda maior produção de arroz no Estado. Em cifras, os valores chegam a R$ 70 milhões por ano, em área de plantação de mais de 11 mil hectares.

“O comércio na cidade está voltado para atender na parte de insumos, por meio de cooperativas, e há intensa movimentação de empregos. Depois, temos grandes engenhos de arroz que processam o arroz no município e vendem Brasil afora”, destaca o engenheiro agrônomo da Epagri de Meleiro, Reginaldo Ghellere

Cifras

Ghellere ressalta o fator “exportador” da rizicultura em Meleiro. Pela falta de espaço no município, muitos produtores locais usam terras no Rio Grande do Sul – cerca de 7 mil hectares, de acordo com o engenheiro agrônomo.

A agricultura e a pecuária produzem anualmente R$ 80 milhões de receita. Na região do Extremo Sul, o município também é o maior produtor de leite.

Crescimento

O segundo maior impacto na produção agropecuária já é o frango de corte, cujas cifras chegam a R$ 4 milhões. A intenção da prefeitura é tornar o município o maior produtor do Sul Catarinense.“Estamos trabalhando muito com o incentivo na produção de frango, a instalação de aviários. Em um futuro bem próximo seremos provavelmente um dos maiores produtores do Sul do Estado”, projeta o prefeito Éder Mattos.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.