Maracajá: Pronto Atendimento tem avaliação positiva

As informações integram o relatório de prestação de contas dos serviços prestados pelo Instituto Maria Schmitt (IMAS) à Comissão de Avaliação prevista no contrato para execução dos serviços no PA Vila Beatriz.

- PUBLICIDADE -

Nos primeiros 30 dias de atividades, a Unidade de Pronto Atendimento Vila Beatriz realizou 566 consultas e, deste total, apenas seis pacientes foram transferidos para o Hospital Regional de Araranguá. Em pesquisa de satisfação realizada após atendimentos, 98% dos usuários deram notas superiores a oito, em uma escala até dez, para o serviço que tiveram.

As informações integram o relatório de prestação de contas dos serviços prestados pelo Instituto Maria Schmitt (IMAS) à Comissão de Avaliação prevista no contrato para execução dos serviços no PA Vila Beatriz. O grupo é formado por representantes da administração municipal, Câmara de Vereadores e do IMAS e se reunirá, sempre, na terceira terça-feira de cada mês para análise dos serviços prestados à população.

- PUBLICIDADE -

Conforme o relatório apresentado pela enfermeira Liana Grundler, representante do IMAS na Comissão e chefe dos serviços no PA Vila Beatriz, o tempo médio de espera por atendimento médico – todos os dias, das 16 às 22 horas – no mês de novembro foi de, no máximo, 29 minutos. Diariamente são atendidos entre 30 e 40 pacientes em consultas médicas e procedimentos necessários para estabilização de quadros.

Todos os pacientes são convidados a preencher formulários de avaliação dos serviços, sem que precisem se identificar e as respostas são colocadas em uma urna, para garantir o anonimato das pessoas. Em novembro foram 40 formulários preenchidos. Do total, 77,5% responderam que davam nota máxima em uma escala de zero a dez, para o atendimento que tiveram; 20% aferiram nota nove e 2,5% nota oito.

O diretor de Saúde do município, Diogo Copetti, além da satisfação dos usuários, que atestam a qualidade do serviço, destacou a resolutividade das consultas oferecidas. “Apenas seis pessoas, entre 566, tiveram que se transferida para o Hospital Regional, para onde foram com leito e atendimentos garantidos em virtude de diagnósticos graves e complexos; é um índice de resolutividade muito bom e que merece comemoração”, disse Copetti.

O maracajaense Gabriel Carradore, na mesma tarde em que ocorria a avaliação dos serviços, era atendido na Unidade de Saúde Vila Beatriz. “Vim para um atendimento simples, que serviu para tirar dúvidas, e fui muito bem atendido por toda equipe; é um atendimento diferenciado em todas as etapas, fornecendo total segurança ao paciente”, disse Gabriel, ao sair da consulta médica.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.