Maracajá: Baixa procura pela vacina contra gripe preocupa autoridades

A sala de vacinas no município está aberta das 7 às 16 horas, de segunda a sexta-feira

Foto: Divulgação
- PUBLICIDADE -

Maracajá

Apesar do bom movimento no “Dia D Municipal”, no último sábado, dia 16, quando 135 pessoas foram imunizadas contra a gripe influenza (H1N1), é considerado, ainda, muito abaixo do esperado a procura pela vacinação pelo grupo prioritário, formado por crianças de seis meses a menos de seis anos de idade, gestantes, puérperas, professores, caminhoneiros e adultos com idades entre 55 e 59 anos.

- PUBLICIDADE -

As informações são da coordenadora da Sala de Vacinas do Cemasas, Silvana Bilésimo, que reforça a importância da vacinação contra a gripe. “Os sintomas iniciais da gripe influenza e da convid-19 são muito semelhantes e sem a vacina, o diagnóstico médico pode se prejudicado”, disse Silvana. Além disso, ela ressalta a responsabilidade de pais e responsáveis por crianças menores de seis anos de idade.

Silvana enfatiza que “a legislação dá o direito a vacina à criança e a obrigação do serviço público em disponibilizar as condições para a imunização, mas se os pais ou responsáveis não trouxerem a criança ao posto de vacinação, não se pode cumprir direitos e deveres previstos em lei; é preciso conscientização dos pais que vacinar é um ato de prevenção que não pode ser abandonado”. A sala de Vacinas está aberta das 7 às 16 horas, de segunda a sexta-feira.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.