Hora de vacinar crianças e jovens

Campanha nacional de multivacinação e vacinação contra a poliomielite vão até o dia 30 de outubro. Meta é vacinar o maior número possível de meninos e meninas

- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

Até o dia 30 de outubro, duas campanhas de vacinação estão acontecendo em todo o Brasil: uma contra a poliomielite e outra para atualizar a caderneta de vacinas. As doses são aplicadas nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) dos municípios. Em Criciúma, as aplicações acontecerão nas UBS que possuem sala de vacina – são 46 locais em toda a cidade.

Para a imunização contra a poliomielite, a meta do Ministério da Saúde é atingir, pelo menos, 95% do público-alvo, que são as crianças de um ano até menores de cinco anos de idade. “Para a multivacinação, a gente não tem meta, porque a criança vai receber vacina, se ela estiver com alguma em falta ou se for a hora de fazer a vacina”, explica a técnica de enfermagem do setor de imunização da prefeitura de Criciúma, Kelly Barp Zanette. “Então, a gente espera que todas as nossas crianças e os nossos adolescentes, pelo menos compareçam às salas de vacinas para que a gente faça a visualização da carteirinha e atualize, caso seja necessário”, completa.

Segundo o Ministério, cerca de 11 milhões de crianças de um ano a menores de cinco anos de idade devem ser vacinadas com a Vacina Oral Poliomielite (VOP), desde que já tenham recebido as três doses da Vacina Inativada Poliomielite (VIP) do esquema básico. “A campanha é indiscriminada, ou seja, a criança vai receber a vacina, de qualquer maneira, mesmo que ela já tenha alguma vacina contra a poliomielite. A criança precisa receber a dose-extra. Se alguma mãe sabe que a carteirinha da criança está em dia, mesmo assim a criança precisa retornar à unidade para fazer a dose extra das duas gotinhas. Temos que vacinar 95% da população”, comenta Kelly.

Novidade para os adolescentes

A campanha de multivacinação é para crianças e adolescentes menores de 15 anos que não foram imunizados ou que estejam com a caderneta incompleta de acordo com o Calendário Nacional de Vacinação. A medida tenta melhorar as coberturas vacinais, que têm oscilado nos últimos anos.

No total, serão oferecidas 14 tipos de vacinas que protegem contra cerca de 20 doenças: BCG (tuberculose); rotavírus (diarreia); poliomielite oral e intramuscular (paralisia infantil); pentavalente (difteria, tétano, coqueluche, hepatite B, Haemophilus influenza tipo b – Hib); pneumocócica; meningocócica; DTP; tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola); HPV (previne o câncer de colo de útero e verrugas genitais); além das vacinas contra febre amarela, varicela e hepatite A.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.