- PUBLICIDADE -

Içara

Enquanto os acordes da música clássica preenchem a singela sala localizada na área central de Içara, dezenas de bailarinos se dedicam em executar os movimentos da dança com precisão e delicadeza. Foco e persistência não faltam para as crianças, adolescentes e jovens adultos que integram as turmas de balé promovidas pela Fundação Cultural do município (FCI). Sob os olhares atentos dos professores, eles demostram empenho de sobra para se aperfeiçoarem cada vez mais.

- PUBLICIDADE -

Para a bailarina e professora Tamara Dal Molin, de 27 anos, participar da oficina içarense é uma forma de agregar conhecimentos e aprofundar os vínculos com o balé. “É algo que vem desde cedo e que sempre me faz ir em busca, porque a gente nunca para de dançar e nunca para de aprender. O corpo nunca cansa. Eu estou sempre envolvida com a dança”, destaca a integrante, que é aluna do projeto há um ano.

Talentos incentivados pelo Município

A oficina promovida pela Prefeitura de Içara oportuniza que, principalmente, crianças e adolescentes tenham acesso ao balé de forma gratuita. Para os pequenos, as aulas funcionam no contraturno escolar, mas têm a frequência ampliada com a evolução dos jovens bailarinos.

Conforme o professor Lucas Fernandes, em torno de 120 alunos participam anualmente do projeto. As aulas envolvem crianças a partir de três anos até jovens adultos, que são distribuídos em níveis e também em balé clássico, jazz e contemporâneo. “A gente tem muita qualidade dentro do município, graças a esse projeto da fundação. Ele ajuda a reconhecer e a trazer esses talentos para cá”, destaca.

Profissionalização 

Há cinco anos à frente da iniciativa, Fernandes têm ampliado aos poucos o projeto, que conta também com a Companhia Jovem, que ajuda a profissionalizar os bailarinos. “Ela é composta por meninas selecionadas dentro das aulas da oficina, que têm um potencial para estar representando o município em competições desse gênero de dança. Elas trabalham à parte. As aulas funcionam todos os dias, todos os horários; são seis horas por dia”, detalha.

Curso intensivo nas férias

Pensando nos preparativos para 2020, a FCI está promovendo um curso intensivo nesta semana. As aulas são voltadas tanto a quem já é integrante do projeto quanto ao público de fora, somando 60 participantes. “Como é o período de férias, veio a ideia de trazer três professores: o de jazz, que é o Anderson Luiz Machado, de Florianópolis; a Bruna Lorenzetti, da Escola do Teatro Bolshoi, que é o balé clássico; e a Hellen Barros, que é a diretora do Culture Soul, de Criciúma”, evidencia Fernandes.

Confira a reportagem completa na edição desta sexta-feira, 17, do Tribuna de Notícias.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Em: Içara

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.