Estadual: Municípios assinam protocolo de compra da Coronavac

Parceria é entre a Fecam e o Instituto Butantan

Foto: Divulgação
- PUBLICIDADE -

Nesta quinta-feira (10), a Federação Catarinense de Municípios (Fecam) assinou o protocolo de intenções com o Instituto Butantan para aquisição de uma vacina contra a Covid-19. A parceria formaliza o interesse dos municípios catarinenses em adquirir a Coronavac, do laboratório Sinovac, após a aprovação pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“É um grande satisfação estar representando a Fecam aqui. Esse é um momento especial nas nossas vidas e na vida de milhões de brasileiros que estão à espera dessa vacina. A vida acontece na cidade, mas a vacina vai ser aplicada dentro dos municípios. Defendemos, com a ciência, a vida do cidadão catarinense”, destacou o presidente da Fecam e prefeito de Rodeio, Paulo Roberto Weiss.

- PUBLICIDADE -

O presidente da Fecam também afirmou que pretende dialogar com o governo de Santa Catarina para que, municípios e Estado, possam participar juntos do processo de compra dos imunizantes.

Durante a cerimônia, diversas autoridades enalteceram o trabalho de protagonismo da Fecam na aquisição da Coronavac. As negociações para a construção do protocolo foram intermediadas pelo secretário de Turismo do Estado de SP, o catarinense Vinicius Lummertz.

“As coisas chegam no limite quando os prefeitos precisam tomar providências. O mundo não anda sem essa vacina. A nossa vida está em jogo. Nossa liberdade está em jogo. Mas hoje, com essa assinatura, é um dia de esperança”, ressaltou Lummertz.

Além da assinatura, a comitiva da Fecam, que reuniu outros prefeitos e técnicos da entidade, também conheceu o complexo de laboratórios do Butatan visitou a sala de ação e enfrentamento à Covid em São Paulo, no Palácio dos Bandeirantes. O protocolo assinado não específica valores, prazos e quantidades, que serão discutidos no futuro.

Coronavac

Segundo o governador de São Paulo, João Doria, o Butatan começou a produção do imunizante na noite desta quarta-feira. Doria explicou que a vacina que será produzida “24 horas por dia e sete dias por semana”, com expectativa de fabricação de 1,5 milhão de doses por dia.

Além de Santa Catarina, outros 10 estados já manifestaram interesse em adquirir a Coronavac. A previsão do governo de São Paulo é de que a vacina comece a ser aplicada em 25 de janeiro. Já em Santa Catarina, a Fecam estima que a vacinação possa estar disponível ainda no primeiro semestre.

O presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas, ironizou as críticas à origem chinesa da vacina. “Essa arma mata o vírus. Ela protege nosso exército. ‘Eu não quero saber, ela é chinesa’. Existe argumento menos inteligente que esse? Existe argumento que jogue mais em favor do vírus do que esse? Tirando essa luta política endoidecida, isso não faz sentido”.

“O Butantan pertence ao partido da saúde e está em defesa da vida da população. Estamos dispostos a dar retaguarda para todos que quiserem assinar esse protocolo, começando com a Fecam”, completou.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.