(Vídeo) Criciúma: União em prol da solidariedade

Grupo de moradores de Criciúma, Içara e Balneário Rincão se reúne para produzir marmitas e doar para comunidades carentes

- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma/Içara/Balneário Rincão

- PUBLICIDADE -

O amor é a motivação que reúne, há três anos, um grupo de aproximadamente 15 moradores de Criciúma, Içara e Balneário Rincão. Uma vez por mês, sempre no segundo domingo, eles juntam forças para produzir 100 marmitas, que são doadas para comunidades carentes das três cidades. Eles criaram, inclusive, a entidade, sem fins lucrativos, chamada Paz e Amor. “É com muito amor que estamos envolvidos nessa causa. A gente faz essa obra com a colaboração de todos. O povo todo se envolve e monta a marmita”, explica Roseli de Souza, moradora de Balneário Rincão, e uma das criadoras da iniciativa.

O projeto é baseado em uma ideia desenvolvida por amigos de Balneário Arroio do Silva, onde Roseli fazia parte. Porém, ela decidiu reunir forças para fazer o bem a pessoas que vivem ainda mais perto dela. Tudo começou com Roseli, Edson Mauricio Alves, Valquíria Casagrande Dal Bello, Odarleia May e Jaqueline Diniz Kroth.

Atualmente, o apelo é por caridade, já que a intenção é aumentar o número de alimentações produzidas a cada encontro. “Nós não temos fins lucrativos nessa associação. A gente apela por caridade para que a gente possa dar continuidade ao nosso projeto. A gente tenta fazer com muito amor e carinho”, comenta Roseli.

Cada família recebe duas marmitas, uma com porções de proteína e carboidrato e outra com salada. As embalagens são fechadas e colocadas em carros até as comunidades de destino. “É triste, mas conhecendo uma moradora de um bairro que a gente leva, uma comunidade,  chegou a dizer para mim que, no final de semana que a gente leva a marmita, a comunidade fica saciada de três a cinco dias”, pontua Roseli.

Sem envolvimento ou cunho político

Há associação de amigos existe há três anos e faz questão de deixar claro que não há envolvimento com políticos. “Não tem porque termos envolvimento com política. É um projeto social. Eu conheço algumas pessoas e vou atrás das doações”, explica, Júnior Cesar da Silva Bernardino, empresário e integrante da associação.

Ele comenta que, caso houvesse uma disponibilidade maior de alimentos, todas as marmitas, mesmo assim, seriam entregues. “A gente só entrega para as famílias que não tem comida mesmo dentro de casa. A gente já sabe os pontos onde as pessoas mais precisam. No último domingo que a gente fez, se tivéssemos 1000 marmitas, teríamos entregado todas e ainda faltaria”, enfatiza,

Alguns mercados e fruteiras da região já colaboram com a iniciativa, mas a intenção é buscar mais doações. “A gente recebe algumas doações de fruteiras e mercados, mas queremos aumentar o número de marmitas, porque têm muitas pessoas que passam por necessidade e precisam de doações. Pessoas que passam fome mesmo”, finaliza Júnior.

Quem quiser doar alimentos ou roupas para a entidade, pode procurar por Júnior César no (48) 99949-9232 ou Roseli no (48) 99670-3498.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.