Criciúma: licitação da Central Funerária é retomada

Edital do certame é retificado pelo Município, após impugnações de itens técnicos. Abertura das propostas é remarcada para 27 de fevereiro

Foto: Lucas Colombo/TN

- PUBLICIDADE -

Criciúma

Está marcada para o dia 27 de fevereiro a nova data do processo licitatório para a concessão dos serviços funerários em Criciúma. O prazo foi estendido após o Município corrigir os itens do edital que foram alvos de impugnações no início de janeiro. Com isso, as empresas interessadas em integrar a Central Funerária pelos próximos cinco anos precisam apresentar as propostas até as 8h45min do dia designado. A sessão para abertura dos envelopes iniciará às 9h.

- PUBLICIDADE -

Conforme o secretário de Assistência Social, Paulo César Bitencourt, as correções foram apenas em pontos técnicos. Porém, como os questionamentos foram protocolados em data próxima à abertura do certame, no início deste mês, foi necessário adiar o processo para possibilitar a análise jurídica. “As questões eram burocráticas, como benefícios que têm as microempresas e, em relação à impugnação, se pode ser feita por escrito ou e-mail. O mais significativo que percebemos, e que entendemos até como justo, é colocar no edital o número estimado de óbitos, para que as empresas pudessem ter noção para formalizar o preço da outorga”, explica o secretário.

As informações levantadas pela Central Funerária apontaram uma média de 200 óbitos atendidos pelo serviço social de Criciúma em 2019. Ou seja, foram três casos por mês para cada permissionária. Porém, o edital deixa claro que não existe limite de atendimentos.

A concessão dos serviços públicos funerários abrangerá novamente seis empresas – como é o modelo atual – e será válida por cinco anos.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Em: Criciúma

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.