Criciúma: greve dos profissionais do Samu chega ao fim

Após assembleia, trabalhadores voltaram às suas funções nessa quarta-feira

SAMU - Cristiano Estrela_Secom
- PUBLICIDADE -

Érik Borges

Criciúma

- PUBLICIDADE -

A greve dos profissionais do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) acabou. A decisão foi tomada em conjunto na assembleia geral do SindiSaúde. A empresa que administra o serviço na região se comprometeu a efetuar o pagamento do 13º salário dos funcionários até o dia 31 de dezembro. De acordo com o diretor do sindicato, Cleber Cândido, caso o pagamento não seja efetuado até essa data, a greve será retomada no dia seguinte.

Durante a greve, as equipes do Samu estavam operando em 30% do quadro total. Agora o funcionamento acontece em 100%. “O sindicato moveu contra a empresa e contra o Estado uma petição autorizando que suspenda os bloqueios dos valores para que eles possam fazer o pagamento”, diz Cândido. Nessa terça-feira, dia 23, a Justiça bloqueou R$ 200 mil da conta da OZZ para que a empresa garantisse o pagamento da dívida com os trabalhadores.

Candido destaca que outras questões continuam sendo discutidas paralelamente. “Assuntos como a falta de reajuste salarial nos últimos três anos, as férias que por três anos não são concedidas e o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) que está pendente desde abril são pontos que precisam ser corrigidos pela empresa.

“Na segunda quinzena de janeiro, ficou definido que agente fará nova assembleia sobre as outras pautas. Caso as pautas não avancem, pode ser deflagrada nova greve”, projeta Cândido.

Todos esses assuntos estão na Justiça sendo reivindicados pelo sindicato da categoria. Nessa última greve, ficou garantido o abono de desconto salarial pelos dias não trabalhados. Além disso, os funcionários terão 60 dias de estabilidade na função.

 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.