Criciúma: Cenj fará paella solidária no sábado

Em comemoração aos 17 anos da Comunidade, refeições serão distribuídas para a comunidade carente de três bairros criciumenses


- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

A Comunidade Evangélica Nova Jerusalém (Cenj) completou 17 anos de atuação em Criciúma e região, nesta quinta-feira, dia 18, e, para celebrar a data, realizará uma paella solidária. A distribuição das refeições acontecerá no sábado, dia 20, ao meio dia, em três bairros de Criciúma: Mina União (Condomínio Carmel), Renascer e no Cidade Alta, que é a caminho de Forquilhinha, mas pertence a Criciúma. Além deles, será contemplada também a Associação dos Haitianos, onde a igreja presta solidariedade. “Serão feitas 1000 marmitas. Vamos colocar a comida dentro da bandeja lacrada, cerca de 300 gramas, e vamos distribuir para a comunidade carente”, explica o pastor Antônio Luiz Lalau, o Toninho.

Um percentual das refeições será distribuído na igreja e as demais serão entregues pelos integrantes da Comunidade. “Não serão as 1000 distribuidas na igreja. Nós iremos com os nossos automóveis fazer as entregas das marmitas nos bairros e o restante, cerca de 400 marmitas, ficarão na igreja, onde o pessoal da região do Pinheirinho, onde a igreja está inserida, vai buscar. Eles têm uma situação social bem vulnerável”, comenta o líder da igreja.

Para que não haja a distribuição repetida das marmitas, a organização da Cenj confeccionou 1000 ingressos e os entregará de forma antecipada, a partir desta sexta-feira, através de representantes nos bairros. “Temos um representante em cada comunidade, que não tem relação direta com o nosso credo, são voluntários. Então, eles farão a distribuição dos ingressos. Só vai receber a paella quem tiver o ingresso”, enfatiza Lalau.

A ação é direcionada como forma de contemplar quem realmente tem mais necessidade de receber os alimentos. “O pessoal da comunidade tem noção de quem realmente precisa e a gente não corre o risco de entregar marmitas repetidas para as pessoas. Muitas vezes, na hora da entrega, repete as pessoas. Assim, a gente faz uma distribuição mais justa”, destaca.

Protocolos de saúde serão respeitados

Em função da pandemia do coronavírus, os cuidados com a saúde e o cumprimento dos protocolos de saúde, colocados pelo governo, serão feitos à risca. “Naturalmente, as marmitas estão lacradas, estaremos todos de luvas e com máscaras, com certeza. A entrega, na igreja, será feita na rua, no pátio, não terá perigo de aglomeração. Teremos estandes e, se necessário, as pessoas farão filas, respeitando o distanciamento social, e a gente faz a entrega. A área é grande”, comenta o pastor.

Propósito de ser relevante à sociedade

Os 17 anos da Cenj são muito comemorados pelo líder religioso. Lalau destaca que, além de difundir os conceitos, a Comunidade busca ser relevante para a sociedade em que está inserida. “Para mim, essa data representa muito. O nosso propósito é, além de levar o evangelho, ser relevante para a nossa sociedade e região. Não nos apegamos apenas à questão religiosa, apesar de ser esse o nosso foco maior, mas entendemos que, como igreja, devemos fazer algo para a comunidade a qual estamos inseridos”, explica Lalau.

Ele reforça que a intenção não é apenas contemplar os evangélicos e, sim, praticar o bem a todos e ajudar quem tem mais necessidade. “Essa tem sido a proposta da Cenj nestes 17 anos: não apenas contemplar os evangélicos, mas a comunidade em geral”, finaliza o líder religioso. Lalau inaugurou a Cenj, em 2003, juntamente com a pastora Helena Santos Lalau.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.