Criciúma: Carinho em um momento difícil

No ápice da pandemia, os profissionais do Hospital São José buscam acolher e humanizar os atendimentos aos pacientes

Foto: Lucas Colombo
- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

Nas últimas duas semanas, os casos de infecção por coronavírus voltaram a crescer de forma assustadora em Criciúma e região. O desgaste dos profissionais de saúde já se acumula desde o início da pandemia, em março, por isso, os Hospital São José (HSJ) acelerou a ideia de acolhimento, inovação e tecnologia. Tanto no tratamento aos pacientes quanto na manutenção da integridade física e psicológica dos profissionais que trabalham na instituição.

Desde quando os pacientes chegam ao hospital, uma equipe multidisciplinar, liderada pelos enfermeiros, direciona o processo de atendimento e acolhimento das pessoas. “Isso é algo que as Irmãs buscam há bastante tempo. Temos essa humanização com o paciente. Dessa forma, a gente tenta buscar que todos os funcionários ajam pelo acolhimento para o paciente e a família dele. Muitas vezes não é fácil, então a gente precisa capacitar, treinar, mostrar e ensinar as pessoas. ‘Pegar na mão’ mesmo e apresentar como deve ser feito, porque são pessoas também e nós temos uma equipe muito grande”, explica a Chefe de Enfermagem do HSJ, Thamilis Peruch Csunderlick.

Essa postura quebra com um preconceito perante os profissionais de saúde. Não é apenas dar remédio às pessoas e mandar embora. “Já é da essência do hospital, o cuidado com as pessoas. São vidas, famílias envolvidas. A equipe de enfermagem trata diretamente com o paciente e tem essa consciência”, comenta Thamilis. “A enfermagem busca o cuidado e fica 24 horas ao lado do paciente. A gente sabe as necessidades deles, o que eles precisam e o que a família está precisando. Então, não é acolher só o paciente, mas também o acompanhante, a família e trabalhar todas essas questões”, completa.

Pacientes não se resumem apenas à Covid-19

A equipe de enfermagem é formada por 600 profissionais, entre enfermeiros e técnicos de enfermagem, e é capacitada para seguir todos os passos dos procedimentos corretamente. “Medicar e seguir a prescrição médica. A gente segue todo o protocolo e a prescrição que o médico determina para o paciente, afinal ele é o responsável pelo paciente. Então, o nosso corpo clinico que determina o tratamento”, destaca a Chefe de Enfermagem.

A equipe multidisciplinar é formada por fisioterapeutas, assistentes sociais, nutricionistas, terapeutas ocupacionais, corpo médico e enfermagem. “Então, toda essa equipe trabalha em conjunto para que o paciente saia melhor do que como ele entrou no hospital”, diz Thamilis.

Além da pandemia e a alta demanda por tratamento para a Covid-19, o HSJ recebe muitos casos de infarto, AVC, pacientes que buscam hemodiálise no hospital e pessoas que chegam para consultas ambulatoriais. “Então, de certa forma, a gente acaba trabalhando com varias patologias e, com a equipe multidisciplinar ajuda e muito, porque cada um vai e busca a sua parte. Se a gente precisa de um apoio psicológico para a família, a gente tem a facilidade de chamar o psicólogo e ele vem para o atendimento do paciente. Então, toda a equipe vai buscando a recuperação dele”, enfatiza.

Cuidados com os trabalhadores do HSJ

Além de toda a preocupação que a equipe de enfermagem tem com os pacientes, o momento de pandemia ficou mais intenso, então, além de se preocupar com o próximo, o hospital se preocupa também com os colaboradores. Uma rede de apoio, dentro do hospital, foi criada para atendimento dos colaboradores. “Um dos primeiros trabalhos que fizemos foi de ‘autorizar’ as pessoas a sentirem medo. Não tem problema ter medo e estar triste. Eu gosto muito da ideia dos ‘herois da saúde’, mas, ao mesmo tempo, havia uma preocupação em humanizar cada vez mais. Herois não são muito humanos, então, a ideia é que a gente se sinta humano e chora, desabafe para tomar fôlego e retomar as atividades”, explica a psicóloga Josiane Javorski, integrante do setor de Desenvolvimento Humano do HSJ.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.