Cocal do Sul: Entidades alertam para descarte correto de materiais

O mal condicionamento de vidros e outros objetos cortantes na hora de descarta-los vêm causando acidentes de trabalho aos colaboradores que fazem a coleta de lixo no município

Foto: Divulgação
- PUBLICIDADE -

Cocal do Sul

A Fundação do Meio Ambiente de Cocal do Sul (FUNDAC) e Secretaria de Saúde alertam para correto descarte de materiais como vidro, luvas e máscaras. O descarte incorreto de vidros vem provocando acidentes. Há preocupação dos órgão é também com o correto descarte das máscaras e luvas.

- PUBLICIDADE -

A mal condicionamento de vidros e outros objetos cortantes na hora de descarta-los vêm causando acidentes de trabalho aos colaboradores que fazem a coleta de lixo em Cocal do Sul. Segundo técnico de segurança do trabalho da prefeitura de Cocal do Sul, Nazareno Borges, a cada dois dias acontece um pequeno acidente. “Pelo menos um cortezinho acontece”, revela o técnico que pede cuidado por parte da população na hora de embalar e colocar no lixo.

Os relatos de pequenos acidentes são constantes. Em 2020 foram registrados três Comunicado de Acidente de Trabalho (CATs), colocando o vidro como o “grande problema”, afirma Nazareno.

Máscaras e Luvas

Outro descarta que precisa de atenção por parte da população são as máscaras e luvas descartáveis, usados com frequência na prevenção ao COVID-19. A recomendação é que o descarte pode ser feito no lixo comum, porém, é recomendado armazenar em um saco plástico, em um lixo fechado. “É recomenda que as máscaras devem ser retiradas tocando apenas o lado de fora”, avisa fiscal da vigilância sanitária, Mário Lúcio de Melo. A mesma recomendação serve para as luvas, onde deve-se retirar-se pela ponta dos dedos e colocar em um saco plástico antes de depositar no saco fechado. O descarte incorreto pode trazer risco as famílias que trabalhem com material reciclado, pelo contato com o material possivelmente contaminado.

A FUNDAC lembra que mascaras não podem ser descartadas em via públicas, ocasionalmente é encontrada, já que se trata de crime ambiental. “Máscaras e luvas não são resíduos recicláveis e devem ser destinados corretamente. Quem for flagrado descartando esse tipo de material em vias públicas pode ser autuado, pois trata-se de crime ambiental”, lembra diretor da FUNDAC, Felipe Pacheco.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.